Um ano do vazamento em Barcarena

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • Às leitoras e aos leitores

    LER MAIS
  • No Sínodo, é fundamental "a denúncia concreta do que acontece em nosso território". Entrevista com Dom José Luiz Azuaje

    LER MAIS
  • Os jovens ativistas frente à crise ecológica do século 21

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

18 Fevereiro 2019

Neste fim de semana fez um ano que resíduos de bauxita da mineradora Hydro Alunorte foram despejados para o meio ambiente depois de chuvas fortes em Barcarena, no Pará. Embora os laudos da Secretaria de Meio Ambiente negassem qualquer problema, dias depois o Instituto Evandro Chagas testou amostras de água e comprovou que havia contaminação. E vistorias ainda encontraram dutos clandestino que levavam resíduos poluentes a cursos d'água.

A informação é publicada por Outra Saúde, 18-02-2019.

O Movimento dos Atingidos por Barragens estima que haja entre 15 e 20 mil famílias atingidas, já que as bacias contaminadas atendem a muitas comunidades. Mas só foram reconhecidas e cadastradas 1,5 mil famílias a partir do Termo de Ajustamento de Conduta, assinado em setembro. Desde então, elas estão recebendo um cupom com um valor mensal, mas só por cinco meses (já está acabando). A Hydro diz respeitar o Termo, que, afinal, não estabelecia o número de famílias que seriam atendidas. Na sexta, houve uma audiência pública para avaliar o documento, e o MPF anunciou que esse número deve subir.

Em janeiro, a empresa entrou com uma ação contra Marcelo Lima, pesquisador do IEC, alegando crime contra a honra por conta de entrevistas que ele deu à época sobre os resultados da pesquisa que comprovavam a contaminação. No último dia 7, o MPF enviou parecer rejeitando a queixa.

A tragédia aniversariante não é novidade na região. Em 20 anos, foram 24 desastres. É "uma contaminação continuada que se reflete na queda de cabelo das pessoas, nas doenças gastrointestinais, nas doenças de pele, em aparecimento de cânceres estranhos”, diz o deputado Carlos Bordalo (PT). Em 2009, a Hydro foi multada pelo Ibama em R$ 5 milhões, também por vazamento de rejeitos em Barcarena, mas recorreu e até hoje não pagou.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Um ano do vazamento em Barcarena - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV