Mais de 3 milhões de muçulmanos uigures são detidos na China ocidental

Revista ihu on-line

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Mais Lidos

  • De Martini a Bergoglio. Rumo a um Concílio Vaticano III

    LER MAIS
  • Abriu-se a porteira da absoluta ingovernabilidade no Brasil. Entrevista com Paulo Arantes

    LER MAIS
  • É possível um cisma na Igreja Católica? Artigo de Thomas Reese

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

14 Agosto 2018

Agência das Nações Unidas de combate à discriminação critica Beijing por transformar Xinjiang em 'campo de concentração em massa'. 

A informação é publicada por La Croix International, 13-08-2018. A tradução é de Luísa Flores Somavilla.

A avaliação das Nações Unidas dos registros de direitos humanos da China indicou que mais de 3 milhões de muçulmanos uigures [1] estão sendo detidos em campos de "reeducação", entre outros, no oeste da China, principalmente em Xinjiang

Cerca de 1 milhão de "inimigos do Estado" estão sendo mantidos em "centros de luta contra o extremismo" com outros 2 milhões de pessoas presas em campos de reeducação e doutrinação política e cultural, levando a "profunda preocupação", afirmou o comitê de luta contra a discriminação da ONU, de acordo com o Al Jazeera.

Isso "fez a Região Autônoma Uigur [do Xinjiang] parecer um campo de concentração sigiloso — uma espécie de 'área livre de direitos'", declarou Gay McDougall, no dia 10 de agosto, no início de uma audiência de dois dias em Genebra, na Suíça.

Uma delegação de 50 autoridades chinesas teriam participado da audiência, que foi concluída no dia 13 de agosto, negando-se a comentar o assunto, mas apontando o elevado padrão de vida da região.

Na sexta-feira, antes do início da audiência, Yu Jianhua, embaixador da China na ONU em Genebra, disse que Beijing estava concentrando esforços para implementar a igualdade e a solidariedade entre todos os grupos étnicos.

Há anos, Beijing tem preocupações com os chamados elementos "separatistas" em Xinjiang, que buscam um Estado separado e pretendem ser destacados pelo governo e pela maioria Han.

Mas McDougall ressalta que grande parte dos detidos nunca foi realmente julgada ou acusada por ter cometido crimes.

Os muçulmanos também estão sendo perseguidos por usar lenços, vender comida Halal e usar saudações muçulmanas tradicionais, disse, citando vários relatórios.

Outros grupos têm contestado os números fornecidos pela agência da ONU, que, segundo eles, é exagerada.

A Human Rights Watch afirma que "dezenas de milhares" de pessoas estão sendo mantidas em campos de reeducação política, onde são forçados a vestir uniformes militares e a recitar canções comunistas patrióticas.

De acordo com a Anistia Internacional, o verdadeiro número pode chegar a centenas de milhares.

Nota

[1] Muçulmanos uigures: Uigures são um povo que habita a região autônoma de Xinjiang, no noroeste da China (Ásia Central), na fronteira com o Paquistão e o Afeganistão. Sua língua é parente da língua turca e os uigures se veem culturalmente e etnicamente mais ligados à Ásia Central do que ao resto da China. Oficialmente, Xinjiang é uma região autônoma da China, assim como o Tibete. Em décadas recentes, a região presenciou uma intensa migração de chineses de etnia han, e vários uigures passaram a reclamar de discriminação. Os chineses de etnia han compõem cerca de 40% da população de Xinjiang, enquanto 45% são uigur. (Fonte: BBC Mundo). (Nota de IHU On-Line). 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mais de 3 milhões de muçulmanos uigures são detidos na China ocidental - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV