Defendamos a candidatura de Flávio Dino. Artigo de Luiz Alberto Gomez de Souza

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • A Igreja é contra a Reforma da Previdência

    LER MAIS
  • A justiça social é mais importante para evitar doenças mentais do que medicamentos, afirma relator de saúde da ONU

    LER MAIS
  • Governo autoriza 42 novos agrotóxicos e somando 239 registros no ano

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

13 Agosto 2018

"É preciso uma mobilização nacional, em favor de Dino", escreve Luiz Alberto Gomez de Souza, sociólogo. 

Eis o artigo.

Pelas sondagens, Flavio Dino, governador do Maranhão, se reelege no primeiro turno, com o dobro dos votos de Roseane Sarney, Foi o que bastou para que uma juíza em Coroatá, no interior do estado, declarasse, em primeira instância. Dino inelegível por 8 anos, por possível favorecimento de um candidato em eleição local, contra um cunhado (!) de Roseana. Esperemos, com certo temor, que a sentença seja anulada em segunda instância.

Volta na memória o caso, em 2009, quando Jackson Lago foi destituído injustamente do governo e a justiça, em lugar de chamar a nova eleições, empossou a perdedora, a eterna Roseana.

Dino, do PC do B, se elegeu governador quando o PT apoiou o candidato dos Sarney! Foi exemplar, não revidou e, com a competência de ex-juiz federal (da turma de Moro, à frente deste na pontuação do concurso), lutou contra o impeachment de Dilma, que ficara ao lado de seu adversário. Sua gestão tem grande aceitação popular. Agora a clã Sarney, com conivência no judiciário, tenta barrar sua reeleição. Uma vergonha. É preciso uma mobilização nacional, em favor de Dino.

Em tempo: Numa suspeitíssima delação premiada, Mônica Moura, mulher do marqueteiro João Santana, há dois dias denunciou Fernando Haddad de possivelmente receber ajuda da Odebrecht, juntamente com Patrus Ananias que, para quem o conhece, tem uma postura ética exemplar. Isso logo que Haddad apareceu como vice de Lula. Coincidência? Temer, Aécio e Alckmin continuam intocáveis. Que justiça é essa?

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Defendamos a candidatura de Flávio Dino. Artigo de Luiz Alberto Gomez de Souza - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV