Belt and Road: Pesquisador adverte que programa de infra-estrutura da China é o ‘projeto ambientalmente mais arriscado na história da humanidade’

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Os bispos do Sínodo farão um novo “Pacto das Catacumbas” para a Amazônia

    LER MAIS
  • A ideologização da Sociologia (além de uma simples distração). Artigo de Carlos Gadea

    LER MAIS
  • Críticos não percebem a importância global do Sínodo da Amazônia, afirma Peter Hünermann

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

06 Junho 2018

Um especialista global em infraestrutura diz que o plano da China de cruzar metade da Terra com projetos massivos de transporte e energia é ambientalmente o empreendimento mais arriscado já empreendido.

A informação foi publicada por James Cook University e reproduzida por EcoDebate, 04-06-2018. A tradução é de Henrique Cortez.

“A China tem enormes ambições”, disse o professor William Laurance, da Universidade James Cook, na Austrália. “Mas com isso vem enormes responsabilidades.”

Escrevendo na revista Nature Sustainability, o Professor Laurance se juntou a uma equipe internacional pedindo à China que empreendesse um rigoroso planejamento estratégico antes de embarcar em sua “Belt and Road Initiative”, que abrangerá pelo menos 64 países da Ásia, África, Europa e região do Pacífico.

Em meados do século, o Belt and Road poderia envolver 7.000 projetos de infraestrutura e investimentos de US $ 8 trilhões, disseram os pesquisadores.

Segundo a WWF, a iniciativa poderia impactar mais de 1.700 áreas críticas de biodiversidade e centenas de espécies ameaçadas.

“A China alega que o Belt and Road será um modelo para o desenvolvimento responsável, mas isso exigirá que ela mude fundamentalmente o modo como faz negócios internacionalmente”, disse o professor Laurance.

“Muitas empresas chinesas e financistas que operam no exterior são mal controlados pelo seu governo – em grande parte porque são muito lucrativos”, disse ele.

“Nas últimas duas décadas, tenho visto inúmeros exemplos de exploração agressiva e até mesmo predatória por empresas chinesas, especialmente em nações em desenvolvimento com fraco controle ambiental.”

Os autores disseram que a China tem uma oportunidade única de mudar seu modelo de desenvolvimento e se tornar um líder mundial em sustentabilidade.

“A China está fazendo um trabalho muito melhor de melhorar as salvaguardas ambientais dentro da China do que internacionalmente”, disse o professor Laurance. “A China tem uma oportunidade única, mas se for ‘business as usual’, então acho que os custos para o meio ambiente e os riscos econômicos para os investidores podem ser assustadores”.

Mapa do projeto Chinês (Fonte: EcoDebate)

Referência:

Fernando Ascensão, Lenore Fahrig, Anthony Clevenger, Richard Corlett, Jochen Jaeger, William F. Laurance, and Henrique Pereira (2018). Environmental challenges for the Belt and Road Initiative. Nature Sustainability.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Belt and Road: Pesquisador adverte que programa de infra-estrutura da China é o ‘projeto ambientalmente mais arriscado na história da humanidade’ - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV