Quem paga a defesa do cardeal Pell?

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Cardeal Müller: documento vaticano sobre a Amazônia contém heresia e estupidez. “Não tem nada a ver com o cristianismo”

    LER MAIS
  • A história dos 13 agricultores presos por Moro e depois absolvidos

    LER MAIS
  • Vozes que nos desafiam. Maria Madalena, a primeira testemunha da Ressurreição

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

07 Março 2018

Mais de 7.000 euros diários. É o que custa a defesa do cardeal George Pell, prefeito da Secretaria para a Economia da Santa Sé, em seu julgamento em Melbourne, por supostos abusos sexuais contra menores. Com a acusação da polícia, em junho de 2017, a Igreja australiana comunicou que a ajuda que ofereceria ao cardeal se limitaria a lhe proporcionar “acomodação e apoio”, e não a pagar seus custos legais. Sendo assim, a quem recorreu o cardeal para custear sua defesa?

A reportagem é de Cameron Doody, publicada por Religión Digital, 06-03-2018. A tradução é do Cepat.

Em julho do ano passado, John Roskam – diretor católico do think tank conservador Institute of Public Affairs – confirmou que um grupo de empresários católicos haviam habilitado um fundo privado no qual depositaram dinheiro destinado à defesa de Pell e que convidaram os fiéis australianos a fazer o mesmo.

“As pessoas me perguntavam como poderiam apoiar a defesa do cardeal Pell”, disse Roskam naquele momento, apontando que os detalhes da conta corrente que fez circular em boletins e webs paroquiais “vieram de pessoas que auxiliam o cardeal”.

“O propósito deste fundo é que há muitas pessoas que desejam apoiar o cardeal e querem lhe dar uma oportunidade para limpar seu nome”, acrescentou Roskam, explicando a razão deste apoio popular: “Toda a impressão que tive ao falar com as pessoas é que [Pell] representa os valores familiares e é um líder em nossa comunidade e um líder para Austrália”.

Segundo sua página web, o Institute of Public Affairs – instrumental na defesa de Pell – é um “centro de pesquisa independente e não lucrativo, dedicado à preservação e fortalecimento da liberdade econômica e política”, a favor de políticas públicas que fomentem “mercado livre das ideias, circulação livre do capital e um governo limitado e eficiente”. Entre outras posturas, defendeu a privatização das empresas estatais, a desregulamentação do mercado trabalhista e a abolição do salário mínimo, e mantém uma posição cética em relação à mudança climática.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Quem paga a defesa do cardeal Pell? - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV