A desvalorização da vida. Explosão da violência revela um Estado brasileiro omisso e desigual

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • “O problema da esquerda é que está fechada em sua sociologia e nas grandes cidades”. Entrevista com Christophe Guilluy

    LER MAIS
  • Estudo sobre orçamento escancara obsessão de Bolsonaro por cortes em áreas sociais

    LER MAIS
  • “O Papa tem um espírito radical”. Conversa com Michel Löwy

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Anielle Silva | 15 Fevereiro 2018

Dados do Instituto de Economia Aplicada - Ipea revelam o crescimento da violência no Brasil, através do Atlas da Violência de 2017, que mostra o aumento da taxa de homicídios e realiza um comparativo entre as regiões do país. Recentemente o Instituto de Segurança Pública, com o auxílio da Secretaria Estadual do Rio de Janeiro, revelou um crescimento de 33% na taxa de letalidade da polícia do Estado do Rio de Janeiro em relação ao mesmo período do ano passado.

O Atlas também cita a taxa nacional de homicídios de pessoas negras. São 66 negros mortos por dia, um a cada 23 minutos, totalizando 4.290 óbitos - até a data de conclusão da pesquisa. Segundo o estudo, um jovem negro tem 12 vezes mais chances de ser assassinado do que um jovem branco. Tendo conhecimento do mapa, a ONU criou a campanha Vidas Negras, que denuncia o racismo presente na sociedade brasileira.

Conflitos no campo

Chacinas, massacres e execuções também marcaram o ano de indígenas e de trabalhadores rurais. Estes episódios evidenciaram as disputas pela terra, a retirada de direitos e mortes em crimes que atordoaram o país, mostrando um poder público que continua a vitimar comunidades pelas mãos do agronegócio.

Diante desta situação e com a finalidade de propor uma reflexão sobre a crescente escalada das questões referentes à segurança pública, à violência e aos direitos humanos, o Instituto Humanitas Unisinos - IHU realiza o ciclo de estudos e debates Violências no Mundo Contemporâneo, visando abordar pontos como direito à demarcação de terras, inclusão, enfrentamento à violência, tráfico de drogas e movimentos de resistência. O evento ocorre de 08 de março a 07 de maio de 2018, na sala Ignacio Ellacuría e Companheiros, no campus da Unisinos São Leopoldo.

Palestrantes confirmados:

Profa. Dra. Denise Falcke – Unisinos

Prof. Dr. Marcos Rolim – IPA

Prof. Dr. Fernando Carneiro – Fiocruz Ceará

Prof. MS Afonso Armando Konzen – FMP

Prof. Dr. David Léo Levisky – SBPSP

Profa. Dra. Fernanda Frizzo Bragato – Unisinos

Prof. Dr. Castor Bartolomé Ruiz – Unisinos

Prof. Dr. Sérgio Adorno – USP

Prof. Dr. Guilherme de Azevedo – Unisinos

Saiba mais clicando aqui.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A desvalorização da vida. Explosão da violência revela um Estado brasileiro omisso e desigual - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV