Argentina: Macri vence novamente e diz que irá priorizar política econômica

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O Papa doa aos pobres um prédio de luxo a poucos passos de São Pedro

    LER MAIS
  • Arautos do Evangelho. Vaticano retoma a intervenção

    LER MAIS
  • Diálogo de surdos: Esquerda e direita falam só para bolhas de convertidos

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Lara Ely | 24 Outubro 2017

Apesar dos movimentos de direitos humanos culparem o governo argentino pela morte do ambientalista Santiago Maldonado, confirmada na última sexta-feira, a imagem do presidente Mauricio Macri saiu ilesa no caso que roubou as cenas as vésperas do pleito. Ele acaba de vencer as eleições legislativas deste domingo, com 40% do voto nacional. Os boletins oficiais relataram vitórias para o Cambiemos, o partido Macri, em 13 das 23 províncias e até em alguns onde o peronismo reinou por décadas, agora dividido e oposto.

Nas eleições de domingo, os argentinos votaram em quase metade dos assentos na Câmara dos Deputados, na câmara baixa do Congresso e em um terço do Senado. Nos concursos do Senado, o partido com mais votos ganha dois lugares, enquanto o vice-campeão recebe um, o que significa que a candidata de centro-esquerda Cristina Kirchner vai se sentar na câmara de qualquer maneira. Embora nenhum partido obtenha uma maioria absoluta na legislatura, o forte desempenho da coalizão de Macri significa que ele irá retirar vários assentos em ambas as câmaras.

A votação ocorreu dois dias depois do corpo do jovem, desaparecido há mais sessenta dias, ser encontrado no rio Chubut, na Patagônia, e identificado pela família do ativista de direitos indígenas. Os resultados preliminares da autópsia sugerem que o Maldonado se afogou.

A varredura das eleições fortalece a habilidade de Macri de realizar mudanças econômicas que ele diz serem necessárias para melhorar a economia do país. Os resultados posicionam-no automaticamente como candidato para reeleição em 2019. Em seu discurso de vitória, Macri manteve a linha cautelosa que o caracterizou: "Estamos apenas começando a transformar nossa amada Argentina".

O empresário terá agora mais poder para acelerar a velocidade de ajuste, mas manterá a estratégia gradual de uma mudança de ritmo lento. "É um dia muito importante, porque hoje confirmamos nosso compromisso de mudança, o que é um compromisso sério", disse ele.

O presidente tem um plano de reformas gradual, que inclui flexibilização das leis trabalhistas, cortes nos gastos públicos e mudanças nas leis tributárias e previdenciárias.

Rosto principal da oposição, Cristina Kirchner assegurou um assento no Senado, mas perdeu a batalha simbólica contra o candidato de Macri, Esteban Bullrich, na província mais populosa do país, Buenos Aires. A candidata disse que as políticas de Macri prejudicariam a classe média e pobre. No domingo à noite, ela se declarou líder da oposição ao atacar o governo Macri. Com apoio entre setores de baixa renda, Cristina é fortemente criticada por alegações de corrupção durante seus dois mandatos entre 2007 e 2015.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Argentina: Macri vence novamente e diz que irá priorizar política econômica - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV