O Velho Chico na UTI, vendo a morte de perto

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • “A Terra é um presente para descobrir que somos amados. É preciso pedir perdão à Terra”, escreve o Papa Francisco

    LER MAIS
  • Piketty: a ‘reforma agrária’ do século XXI

    LER MAIS
  • Sínodo, o único sacerdote indígena: “Eu deixaria o sacerdócio se entendesse que o celibato não serve mais para mim”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

04 Outubro 2017

O rio São Francisco, também chamado de Rio da Integração Nacional ou, para o povão, Velho Chico, vive uma situação nunca vista. Fornece água para abastecer cidades, irrigar a agricultura, gerar energia e ainda dá o peixe. Mas o homem só faz explorá-lo. Carinho zero, nem para evitar maus-tratos.

A reportagem é de Levi Vasconcelos, publicada por A Tarde, 30-09-2017.

O assunto foi o principal, ontem, no Encontro dos Presidentes de Assembleias do Nordeste, o Parlanordeste.

O presidente de Alagoas, Luiz Dantas Lima (PMDB), resumiu uma parte do flagelo, o da banda mais próxima do mar:

– Antes, o Velho Chico botava água doce mais de cinco quilômetros mar afora. Agora, mais de 50 quilômetros rio adentro estão salgados. Em algumas localidades o abastecimento virou um sério problema. A vazão mínima estimada é de 1.850 metros cúbicos por segundo. Estamos com um terço disso, apenas 550 metros.

Os deputados fecharam também com a defesa da Eletrobrás, porque, segundo Ângelo Coronel (PSD), uma coisa (o rio) está imbricada com a outra.

– O rio não está morrendo, está morto. Ninguém fala em preservar, só em recuperar. Em Remanso a captação de água está a 7 km de distância do que era antes.

Pressão federal — E qual é a estratégia para dar eficácia a tais iniciativas. Segundo Coronel, a principal é fazer pressão sobre deputados e senadores de cada estado.

Novo encontro — Segunda à tarde a Assembleia realiza outro grande evento em defesa do Velho Chico. Os presidentes das comissões de Meio Ambiente de Bahia, Minas, Pernambuco, Sergipe e Alagoas, mais os da Paraíba e Ceará, que recebem água da transposição, vão se juntar aos senadores Otto Alencar (PSD) e Lídice da Mata (PSB).

Canal do sertão

Já o deputado José Carlos Aleluia (DEM) soltou foguetes para o fato de o governo ter liberado o edital para a elaboração do projeto da primeira etapa do Canal do Sertão, que vai tirar água do São Francisco até a região de Jacobina, passando por 42 municípios. Mas tirar água de onde?

Aleluia diz que a vazão do canal é de apenas 20 metros cúbicos por segundo e não é permanente, só na necessidade.

– Além disso, acompanha o projeto um eficaz sistema de revitalização.

Eis a questão: todo projeto promete isso.

Base ampliada

Carlos Andrade, presidente da Fecomércio-BA, festeja a adesão do Sindicato Varejista de Senhor do Bonfim. Ele diz que, quando entrou, tinha 28 filiados. Hoje são 35.

Longevidade no poder

Falavam que era um absurdo Marcelo Nilo (PSL), após 10 anos como presidente da Assembleia, pretender mais um mandato (o que completaria 12 anos), mas é porque não viram o que se passa no Piauí.

O presidente da Assembleia de lá, Themístocles Filho (PMDB), está há 14 anos no cargo, um recorde nacional. Ele estava ontem em Salvador e sentiu-se muito tranquilo ao ser abordado sobre o assunto.

– Ganhei todas no voto. A única vez que teve concorrência foi em 2015. O governador (Wellington Dias) botou um candidato e perdeu.

Quem disputa o recorde da longevidade com ele é o presidente de Pernambuco, Guilherme Uchôa (PDT). Tem 12 anos no cargo.

Pauta zero — Na Bahia, a Assembleia aprovou dispositivo proibindo a reeleição, mas no Piauí, nem tchum. Themístocles diz que o assunto está fora de pauta. Aliás, nunca entrou.

Política com Vatapá

Ajuda eleitoral

Pertinho das eleições de 2012, João Henrique, prefeito de Salvador, chamou o vereador Alberto Braga (PSC) para uma conversa reservada.

– Olhe, te chamei aqui para lhe dar um presente que muito vai lhe ajudar a ganhar a eleição.

E entregou uma caixa, com a ressalva:

– Tem mais, Alberto. Não fale isso na Câmara, não, viu? Você sabe como é, são muitos vereadores, pode gerar ciúmes...

Alberto saiu carregando a caixa intrigado, a cabeça passando mil coisas, a previsão mais otimista, o dinheiro da boca de urna, se não uma mala, mas uma caixa. Chegou num canto, discretamente abriu um pedacinho. Era um megafone. Ia descendo a escada, deu de cara com o colega Geraldo Júnior (SDD), que falou:

– Huuummm!... Ganhou um megafone novo, hein?!

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O Velho Chico na UTI, vendo a morte de perto - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV