Pesquisas devem seguir em benefício da humanidade

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Teóloga franciscana desafia a hipocrisia da nova encíclica papal Fratelli Tutti

    LER MAIS
  • A horripilante foto eleitoral da ‘terrorista de direita’

    LER MAIS
  • Novo secretário do Sínodo dos Bispos lamenta a “enorme energia” despendida pela Igreja “para converter a sociedade secular”: “É mais importante convertermos nós mesmos”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


03 Agosto 2017

Para especialista, estudo poderá abrir caminho para o desenvolvimento de métodos que corrijam mutações genéticas hereditárias e impeçam a sua transmissão

O comentário é de Mayana Zatz, diretora do Centro de Pesquisas do Genoma Humano da Universidade de São Paulo - USP, publicado por O Estado de S. Paulo, 03-08-2017.

Eis o texto.

O estudo é de grande importância para aprimorar a ferramenta Crisper de edição do genoma e entender como ela funciona em embriões humanos, o que poderá abrir caminho para o desenvolvimento de métodos que corrijam mutações genéticas hereditárias e impeçam a sua transmissão.

Sou totalmente a favor desse tipo de pesquisa. Hoje, quando um casal faz reprodução assistida e quer evitar que o filho herde uma mutação genética causadora de doenças, os embriões sem a mutação são implantados e os demais, descartados. Com a técnica de Crisper, seria possível no futuro corrigir o defeito sem descartar embriões e, ao mesmo tempo, garantir que a mutação não seja transmitida para as gerações seguintes.

Um longo caminho terá de ser percorrido até que a técnica possa ter aplicação médica, mas o essencial é que as pesquisas continuem. Quem se opõe a esses estudos acredita que a técnica poderia ser utilizada para manipular o genoma humano de forma a desenhar pessoas com características desejadas - uma espécie de eugenia -, mas estamos muito distantes disso. Mesmo que não houvesse qualquer preocupação com ética, características como beleza e habilidade para esportes, por exemplo, são multifatoriais e dependem de vários genes. Esse tipo de manipulação seria algo muito difícil de executar na prática.

O importante é que as pesquisas prossigam, com foco em doenças genéticas. Há muito controle no que está sendo feito e ninguém vai implantar esses embriões no útero de uma mulher sem segurança. Se não fizermos pesquisas, não vamos aprender a utilizar essas tecnologias para o benefício da humanidade.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Pesquisas devem seguir em benefício da humanidade - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV