Estudos apontam gargalos para avanço da agricultura de baixo carbono no Brasil

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • “Uma nova educação para uma nova economia”: Prêmio Nobel de Economia, Joseph Stiglitz, ministrará videoconferência nesta quinta-feira

    LER MAIS
  • O enorme triunfo dos ricos, ilustrado por novos dados impressionantes

    LER MAIS
  • Por que Tagle é o novo “herói papal” do Oriente

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

24 Maio 2017

Pouca adesão de produtores rurais e a situação de áreas prioritárias do Programa ABC motivaram especialistas a pesquisar o assunto.

A informação foi publicada por Observatório ABC, 23-05-2017.

No próximo dia 30/05, às 14h30, o Observatório ABC lançará dois estudos realizados para analisar a situação do Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC). Criado em 2010, o Programa consiste em uma linha de crédito para dar condições para o produtor rural desenvolver sua atividade com menos impacto ambiental e ajudar o Brasil a cumprir suas metas de redução de emissões de carbono no setor agropecuário. Realizado na Fundação Getúlio Vargas, o evento contará com abertura do ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, coordenador do Gvagro.

“Alguns especialistas tinham uma percepção de que, pela quantidade de áreas degradadas existentes no Brasil, haveria demanda para investimentos robustos à adoção de tecnologias de baixo uso de carbono. Além disso, o Programa ABC passou por avanços nos últimos anos. Mas, estas informações não se confirmaram na prática, o que fez o programa se enfraquecer e perder recursos que poderiam potencializar a redução de emissões no Brasil”, afirma Angelo Gurgel, coordenador do Observatório do Plano ABC.

Na ocasião, o engenheiro agrônomo e doutor em economia aplicada Alexandre Mendonça de Barros, diretor-sócio da MB Agro, apresentará o estudo que verificou as causas do baixo uso de crédito no Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC) pelos agricultores e o critério de seleção das áreas prioritárias. No geral, o estudo constatou que não há restrição de oferta, mas sim de demanda por parte dos produtores nas áreas consideradas prioritárias pelo Programa no Norte e Nordeste (Bahia, Maranhão, Piauí e Tocantins).

Em seguida, será destacado um estudo de caso realizado em Alta Floresta (MT), que analisou alguns dos fatores que impactam no desempenho do Programa, considerando o ponto de vista de seu público-alvo: os produtores rurais. O objetivo principal foi identificar e entender os desafios e restrições percebidos por eles no processo de contratação dessa linha de crédito.

O evento contará com o encerramento de Eumar Novacki, secretário executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Lançamento de estudos do Observatório ABC

Data: 30 de maio de 2017, das 14h30 às 17h30
Local: FGV EESP – Rua Itapeva, 474 – 6º andar – Bela Vista – São Paulo
Mais informações: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Estudos apontam gargalos para avanço da agricultura de baixo carbono no Brasil - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV