Baixos níveis de oxigênio no oceano podem levar a mais incêndios florestais no futuro

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • Por que o Papa Francisco não tem medo de um cisma

    LER MAIS
  • Os 12% do presidente – em que lugar da sociedade habita o bolsonarista convicto?

    LER MAIS
  • Comunhão na Igreja dos EUA ''já está fraturada''. Entrevista com Massimo Faggioli

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

18 Maio 2017

O oxigênio é tão importante para a vida debaixo d’água quanto o é sobre a terra. O impacto de como as baixas concentrações de oxigênio (anoxia) nos oceanos é desastroso e, no passado, contribuiu para extinções em massa. Agora, uma equipe de pesquisadores modelou os efeitos dos eventos anóxicos sobre o oceano e descobriu que é preciso um milhão de anos para que ele se recupere de tais eventos.

A reportagem é de Josh Davis, publicada por IFL Science, 15-05-2017. A tradução é de Isaque Gomes Correa

Focalizando o evento ocorrido que ocorreu no período final da era jurássica, conhecido como o Evento Anóxico Oceânico do Toarciano, os pesquisadores puderam documentar como a mudança drástica nas concentrações de oxigênio caracterizou-se por perturbações no ciclo global do carbono. Descobriram que os eventos anóxicos nos oceanos apenas findam com o aumento do oxigênio atmosférico, em que é este é reabsorvido para dentro da água.

Estes resultados, publicados na revista Nature Communications, permitem uma melhor compreensão das consequências terríveis e de grande alcance que os baixos níveis de oxigênio nos oceanos têm, incluídos alguns efeitos inesperados.

Quando os níveis de gás nas águas caem, resulta em mais carbono orgânico enterrado no fundo do oceano. Enquanto as regiões mais quentes do oceano permanecem produtivas, bactérias e outras criaturas não conseguem sobreviver em condições anóxicas. Isso, por sua vez, conduz a um aumento nos níveis de oxigênio atmosférico, que começa a aumentar.

Em resposta a esta situação, concentrações mais altas de oxigênio no ar significam haver um aumento na frequência de incêndios florestais. Os pesquisadores que estudaram o Evento do Toarciano, ocorrido a cerca de 183 milhões de anos atrás, descobriram que depósitos de carvão vegetal aumentavam dentro de um milhão de anos após o início do evento, e demonstram que os incêndios florestais foram fortes por, pelo menos, 800 mil anos.

A queima de plantas na terra ao longo de centenas de milhares de anos pode também ter desempenhado um papal para pôr fim à anoxia. As plantas em terra podem ajudar a liberar nutrientes nas rochas, o que acaba chegando aos oceanos e contribui para o crescimento de organismos. Se os incêndios impedissem que as plantas crescessem, haveria menos minerais lançados ao oceano, o que significaria que menos criaturas sobreviveriam. Isso, portanto, permitiria que os níveis de oxigênio na água se acumulassem de forma constante.

O elemento preocupante é que estamos atualmente à beira de um outro evento anóxico global. Na medida em que as mudanças climáticas avançam, a química dos oceanos também se altera, o que leva à diminuição das concentrações de gás dissolvido nas águas. Nos últimos 50 anos, tem-se que a concentração de oxigênio caiu 2%. Embora não pareça alarmante, pensa-se que este número pode ser o suficiente para iniciar a formação de zonas mortas.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Baixos níveis de oxigênio no oceano podem levar a mais incêndios florestais no futuro - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV