Arcebispo nigeriano é eleito presidente da Federação Luterana Mundial

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • “O que acumulamos e desperdiçamos é o pão dos pobres”, afirma o papa Francisco em carta à FAO

    LER MAIS
  • Metade dos brasileiros vive com R$ 413 mensais

    LER MAIS
  • O Sínodo nos ajuda a entender que a solução não está no Direito Canônico, mas na profecia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

16 Maio 2017

O arcebispo nigeriano Musa Panti Filibus foi eleito novo presidente da Federação Luterana Mundial durante os trabalhos da 12ª Assembleia Geral que se conclui nesta terça-feira, em Windhoek, Namíbia. Ele é o segundo presidente proveniente da África depois de Josiah Kibira, bispo da Tanzânia, que esteve à frente da Federação Luterana Mundial de 1977 a 1984.

A reportagem é do jornal L’Osservatore Romano, 15-05-2017. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Foi uma escolha significativa dos delegados provenientes de todos os cantos do planeta, voltada a recompensar, por um lado, o crescente peso específico do continente africano dentro da comunhão luterana e, por outro, o grande trabalho desenvolvido ao longo dos anos de pastorado de Filibus, tanto dentro do seu país martirizado pelos ataques do grupo terrorista Boko Haram, quanto em âmbito internacional, com o papel de secretário do departamento para as missões e o desenvolvimento da África e com o compromisso na política inclusiva de gêneros, entre os pilares da Federação Luterana Mundial.

Filibus, que sucede o bispo Munib Younan e permanecerá no cargo por sete anos (até 2024), no discurso de posse, quis recordar os desafios para os próximos anos: “O meu sonho é o de uma federação cada vez mais protagonista em âmbito diaconal no enfrentamento das grandes tragédias do nosso tempo, começando pelos milhões de refugiados forçados a fugir das suas terras por causa das guerras ou das mudanças climáticas”.

Os protagonistas – acrescentou o presidente – são também e especialmente os jovens, que “devem se tornar atores principais da vida de cada Igreja individual”, e as mulheres, que “devem ser finalmente reconhecidas assim como os homens, sem mais o pesadelo das violências de gênero”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Arcebispo nigeriano é eleito presidente da Federação Luterana Mundial - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV