Francisco: "O Evangelho deve ser anunciado com humildade, não com poder"

Revista ihu on-line

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Mais Lidos

  • Os Arautos do Evangelho não reconhecem o Comissário do Vaticano, dom Raymundo Damasceno Assis

    LER MAIS
  • Pacto das Catacumbas pela Casa Comum. Por uma Igreja com rosto amazônico, pobre e servidora, profética e samaritana

    LER MAIS
  • A virada autoritária de Piñera. O fracasso de um governo incompetente e corrupto

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

26 Abril 2017

O anúncio do Evangelho deve ser feito com humildade, superando a tentação da soberba. É a exortação que Francisco fez na sua homilia da Missa matutina celebrada na capela da Casa de Santa Marta, na festa de São Marcos Evangelista.

O papa reafirmou a necessidade de que os cristãos "saiam para anunciar" e manifestou que um pregador deve estar sempre em seu caminho, sem procurar por um "seguro de vida", para permanecer imóvel e seguro.

A informação é publicada por Religión Digital, 25-04-2017.

Jesus dá a missão aos discípulos: anunciar o Evangelho. "Não permaneçam em Jerusalém". Saiam para proclamar a Boa Nova a todos. O Papa Bergoglio se deteve em refletir sobre o Evangelho de Marcos, que fala sobre o mandamento do Senhor aos seus discípulos e observou que "o Evangelho é sempre proclamado em movimento, nunca sentado, sempre durante o caminho".

Sair para anunciar, não permanecer imóvel, mas sempre caminhar

É necessário ir onde Jesus não é conhecido ou onde Jesus é perseguido - disse o Pontífice - ou onde Jesus é desfigurado, para proclamar o verdadeiro Evangelho:

"Sair para anunciar. É nesta saída que a vida do pregador transcorre, se realiza. Ele não está seguro, pois para os pregadores não há nenhum seguro de vida. E se um pregador busca um seguro de vida, ele não é um verdadeiro pregador do Evangelho: não sai, permanece seguro. Primeiramente: vão, saiam. O Evangelho, o anúncio de Jesus Cristo, é feito em saída, sempre no caminho, sempre. Tanto no caminho físico, quanto no caminho espiritual ou no caminho do sofrimento: pensemos no anúncio do Evangelho que muitas pessoas doentes fazem. Tantas pessoas doentes! Pessoas que oferecem suas dores pela Igreja, pelos cristãos. Mas sempre saem de si mesmos".

Quando perguntado sobre como deve ser o estilo deste anúncio, o Santo Padre observou: "São Pedro, que foi o mestre de Marcos, é muito claro na descrição deste estilo". E disse que "o Evangelho deve ser anunciado com humildade, porque o Filho de Deus foi humilhado, foi aniquilado. O estilo de Deus é este" e "não há outro". "O anúncio do Evangelho - reafirmou - não é um carnaval, uma festa". Este "não é o anúncio do Evangelho".

O Evangelho deve ser anunciado humildemente, superando a tentação mundana

Francisco também disse que "o Evangelho não pode ser anunciado com o poder humano, não pode ser anunciado com o espírito de escalada e ascensão". Isto - agregou o papa - "não é o Evangelho". Portanto, todos são convocados para que se revistam "reciprocamente de humildade", porque "Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes":

"Mas por que esta humildade é necessária? Justamente porque levamos adiante um anúncio de humilhação, de glória, mas através da humilhação. E o anúncio do Evangelho sofre tentações: a tentação do poder, a tentação da soberba, a tentação mundana, de tantas futilidades que existem e que nos levam a pregar ou a recitar; porque uma pregação não é feita de um Evangelho diluído, sem força, um Evangelho sem Cristo crucificado e ressuscitado. Por esta razão, Pedro disse: 'Vigiem, vigiem, vigiem... Seu inimigo, o diabo, é como um leão que ruge procurando a quem devorar. Resistam-lhe, firmes na fé, sabendo que os mesmos sofrimentos são impostos a seus irmãos espalhados por todo o mundo'. O anúncio do Evangelho, se é de verdade, suporta a tentação".

O papa observou ainda que se um cristão diz que anuncia o Evangelho, "mas jamais é tentado", então isso significa que "o diabo não se preocupa", porque "estamos pregando uma coisa que não serve".

Pedir ao Senhor para que saiamos de nós mesmos para evangelizar

"Por essa razão - disse o Bispo de Roma - sempre na verdadeira pregação há alguma tentação e perseguição, do mesmo modo". O pontífice concluiu sua homilia, observando que quando estamos no sofrimento, é o Senhor quem nos dá força, tal qual foi prometido quando ele enviou os Apóstolos:

"Será o Senhor quem nos consolará, quem nos dará força para seguir em frente, porque Ele trabalha conosco se formos fiéis ao anúncio do Evangelho, se saímos de nós mesmos para pregar por Cristo crucificado, escândalo e loucura, e se fazemos isto com um estilo de humildade, de verdadeira humildade. Que o Senhor nos dê a todos esta graça, como batizados, de tomar o caminho da evangelização com humildade, com confiança Nele próprio, anunciando o verdadeiro Evangelho: 'O Verbo veio na carne. O Verbo de Deus veio na carne’. Esta é uma loucura, é um escândalo, mas é necessário fazê-lo com a consciência de que o Senhor está conosco, trabalha conosco e confirma o nosso trabalho".

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Francisco: "O Evangelho deve ser anunciado com humildade, não com poder" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV