"Quinhentos anos de Lutero, ocasião para redescobrir juntos o Evangelho", afirma Francisco

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Os bispos do Sínodo farão um novo “Pacto das Catacumbas” para a Amazônia

    LER MAIS
  • A ideologização da Sociologia (além de uma simples distração). Artigo de Carlos Gadea

    LER MAIS
  • Críticos não percebem a importância global do Sínodo da Amazônia, afirma Peter Hünermann

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

20 Janeiro 2017

Às 10 horas da manhã dessa quinta-feira, 19 de janeiro, o Santo Padre Francisco recebeu em audiência uma delegação ecumênica da Igreja Luterana da Finlândia por ocasião da peregrinação ecumênica anual a Roma para celebrar a festa de Santo Henrique, padroeiro do país.

A Sala de Imprensa da Santa Sé, 19-02-2017, publicou o texto da saudação do papa. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

"A intenção de Martinho Lutero, 500 anos atrás, era de renovar a Igreja, não dividi-la", afirmou o Papa.

Eis o texto.

Queridos irmãos e irmãs,

Saúdo com alegria a todos vocês que, nesta delegação ecumênica, vieram como peregrinos da Finlândia para Roma por ocasião da festa de Santo Henrik. Agradeço ao bispo luterano de Turku pelas suas corteses palavras – em espanhol!

Há mais de 30 anos, é um belo costume que a peregrinação de vocês coincida com a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que nos chama à reaproximação a partir da conversão. O verdadeiro ecumenismo, de fato, se baseia na conversão comum a Jesus Cristo como nosso Senhor e Redentor. Se nos aproximamos juntos d’Ele, aproximamo-nos também uns dos outros. Nestes dias, invocamos mais intensamente o Espírito Santo para que suscite em nós essa conversão, que torna possível a reconciliação.

Nesse caminho, católicos e luteranos, de vários países, junto com diversas comunidades que compartilham o caminho ecumênico, percorremos uma etapa significativa quando, no dia 31 de outubro passado, nos reunimos em Lund, na Suécia, para comemorar o início do Reforma com uma oração comum.

Essa comemoração conjunta da Reforma teve um significado importante no plano humano e teológico-espiritual. Depois de 50 anos de diálogo ecumênico oficial entre católicos e luteranos, conseguimos expor claramente as perspectivas sobre as quais, hoje, podemos dizer que concordamos. Somos gratos por isso. Ao mesmo tempo, mantemos vivo no coração o arrependimento sincero pelas nossas culpas.

Nesse espírito, em Lund, foi lembrado que a intenção de Martinho Lutero, 500 anos atrás, era de renovar a Igreja, não dividi-la. Aquele encontro nos deu a coragem e a força para olhar para a frente, no nosso Senhor Jesus Cristo, para o caminho ecumênico que somos chamados a percorrer juntos.

Preparando a comemoração comum da Reforma, católicos e luteranos tomaram mais consciência também do fato de que o diálogo teológico continua sendo essencial para a reconciliação e deve ser levado adiante com empenho constante. Assim, naquela comunhão concorde que permite que o Espírito Santo atue, podemos chegar a mais convergências sobre os conteúdos da doutrina e do ensinamento moral da Igreja, e podemos nos aproximar cada vez vez à unidade plena e visível.

Rezo ao Senhor para que acompanhe com a Sua bênção a Comissão de Diálogo Luterano-Católica da Finlândia, que está trabalhando com dedicação em uma interpretação sacramental comum da Igreja, da Eucaristia e do ministério eclesial.

O ano de 2017, ano comemorativo da Reforma, representa, portanto, para católicos e luteranos, uma ocasião privilegiada para viver a fé de maneira mais autêntica, para redescobrir juntos o Evangelho e para buscar e testemunhar a Cristo com impulso renovado. Na conclusão da jornada comemorativa de Lund, olhando para o futuro, obtivemos a coragem a partir do nosso testemunho comum de fé perante o mundo, quando nos empenhamos a apoiar juntos aqueles que sofrem, aqueles que estão em necessidade, aqueles que estão expostos a perseguições e violências. Ao fazer isso, como cristãos, não estamos mais divididos, mas estamos unidos no caminho rumo à plena comunhão.

Além disso, gosto muito de recordar que os cristãos finlandeses festejam este ano o centenário do Conselho Ecumênico Finlandês, que é um importante instrumento para promover a comunhão de fé e de vida entre vocês.

Em 2017, enfim, a pátria de vocês, a Finlândia, completa 100 anos como Estado independente. Que tal aniversário possa encorajar todos os cristãos do seu país a professar a fé no Senhor Jesus Cristo – como Santo Henrik fez com grande zelo – testemunhando-a hoje diante do mundo e traduzindo-a também em gestos concretos de serviço, de fraternidade, de partilha.

Enquanto desejo que a peregrinação de vocês contribua para reforçar ainda mais a boa colaboração entre ortodoxos, luteranos e católicos na Finlândia e no mundo, e que o testemunho comum de fé, esperança e caridade, com a intercessão de Santo Henrik, traga frutos abundantes, invoco, de coração, a graça e a bênção de Deus para todos vocês.

E, querido irmão bispo, quero agradecer-lhe pelo bom gosto de trazer seus netinhos: temos a necessidade da simplicidade das crianças. Elas nos ensinarão o caminho para Jesus Cristo. Obrigado, muito obrigado!

Leia mais:

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"Quinhentos anos de Lutero, ocasião para redescobrir juntos o Evangelho", afirma Francisco - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV