Francisco busca uma casa em Guidonia, Itália

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “O coronavírus é um pedagogo cruel”. Entrevista com Boaventura de Sousa Santos

    LER MAIS
  • Porque a América Latina é o epicentro da pandemia? Artigo de Raúl Zibechi

    LER MAIS
  • Se nos empenharmos a aliviar tanto sofrimento, estaremos buscando a Deus. Artigo de José María Castillo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


13 Janeiro 2017


Na tarde do próximo domingo, dia 15 de janeiro, o Papa Francisco, em pleno exercício de seu papel como bispo de Roma, visitará a paróquia de Santa Maria de Setteville.

Das mais de 300 paróquias da diocese de Roma, esta é a décima-segunda que receberá o Papa. Até agora, não são muitas as que foram visitadas por ele, também porque durante o período do Jubileu as visitas foram suspensas.

Mas há um elemento curioso que torna esta visita especial.

A paróquia de Santa Maria de Setteville não está no território da comuna de Roma, mas situa-se na de Guidonia Montecelio, uma cidade de 80 mil habitantes a leste da capital (ver foto). Onze das 14 paróquias de Guidonia pertencem à diocese de Tivoli e três à diocese de Roma. Destas três, o Papa Francisco já visitou uma, a de Santa Maria da Oração, no dia 16 de março de 2014, e agora se prepara para visitar outra. Duas das três.

A pergunta surge espontaneamente: o que leva o Papa Francisco a ir para lá?

A informação e o comentário é de Sandro Magister, publicado por Settimo Cielo, 12-01-2017. A tradução é de Henrique Denis Lucas

Em junho do ano passado o Arcebispo argentino Victor Manuel Fernández, teólogo de confiança de Jorge Mario Bergoglio e conselheiro respeitadíssimo, em um entrevista publicada pela Religião Digital, disse que "o Papa não precisa necessariamente morar o tempo todo em Roma", porque também é "pastor supremo de toda a Igreja".

Mas também na qualidade de Bispo de Roma, acrescentou, "nada impediria que o Papa residisse em Guidonia Montecelio", que é outra comuna, mas que sempre fez parte da sua diocese.

É precisamente isto: Fernández sinalizou Guidonia como um possível local de residência para o Papa. Não o Vaticano, não o centro da cidade, mas uma periferia extrema, uma das "periferias geográficas e existenciais" tão queridas por Bergoglio.

Do Papa Francisco se pode esperar qualquer coisa. Por que não também isso?

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Francisco busca uma casa em Guidonia, Itália - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV