Mais de quarenta milhões de norte-americanos passam fome. A triste face da América

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Vozes que nos desafiam. Celebração da Festa de Santa Maria Madalena

    LER MAIS
  • O que faria a esquerda despertar? Vladimir Safatle comenta a política brasileira

    LER MAIS
  • Agnes Heller, uma filósofa radical em busca da aventura da existência

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

16 Dezembro 2016

Apesar da economia norte-americana estar em recuperação e a taxa de desemprego em baixa, mais de 42 milhões de pessoas nos Estados Unidos passam fome. Quem fornece esse dado alarmante é o instituto Feeding America, segundo o qual quase um em cada sete cidadãos americanos sofre de graves problemas de desnutrição.

A informação é publicada por L’ Osservatore Romano, 15-12-2106. A tradução é de Luisa Rabolini.

Segundo recentes estatísticas publicadas pelo departamento de Agricultura, 15,8 milhões de famílias estadunidenses – 12,7 por cento do total – em algum momento do ano passado não tiveram alimento suficiente para sua alimentação.

Apesar de seu caráter dramático, o dado registra uma melhoria em relação ao 14 por cento de 2014, mas ainda é superior aos números de uma década atrás. Sinal que os efeitos da grande crise econômica ainda estão presentes. Além disso, segundo os dados governamentais, até o final de 2016 cerca de um milho de norte-americanos irão perder os benefícios dos vales-alimentação estatais por causa de alterações na legislação. Bancos de alimentos, refeitórios populares e igrejas em todo o país já relatam ter uma demanda que supera todas as anteriores. E cada vez mais são os mais idosos e as famílias de baixa renda que recorrem a essas ajudas emergenciais. “Ainda existe a ideia que bancos de alimentos e refeitórios são apenas para os sem teto, mas isso não é verdade” explicou Margarette Purvis, administradora delegada do Banco de Alimentos de Nova York. “Muitas pessoas contam com esses recursos justamente para não perder a casa própria”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mais de quarenta milhões de norte-americanos passam fome. A triste face da América - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV