Dom Paulo Evaristo Arns, o cardeal da esperança, morre aos 95 anos

Revista ihu on-line

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Mais Lidos

  • ''Há um plano para forçar Bergoglio a renunciar", denuncia Arturo Sosa

    LER MAIS
  • EUA: um complô para fazer com que o papa renuncie

    LER MAIS
  • “Construímos cidades para que as pessoas invistam, não para que vivam”. Entrevista com David Harvey

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: IHU | 14 Dezembro 2016

Um dos mais notáveis cardeais brasileiros, Dom Paulo Evaristo Arns morreu no final da manhã desta quarta-feira, 28-11-2016, no Hospital Santa Catarina, em São Paulo. Arns era uma das pessoas mais influentes da Igreja Católica no Brasil e na América Latina, ficando conhecido por sua luta de uma vida inteira em defesa aos direitos humanos, por ter sido contra a ditadura militar e por ser defensor das periferias. Em setembro o cardeal havia completado 95 anos. Desde o dia 28 de novembro estava internado vítima de uma broncopneumonia. O funeral ocorrerá na Catedral da Sé, todavia os detalhes sobre a missa e o sepultamento ainda não foram divulgados.

O site da Catedral da Sé publicou hoje um trecho do texto publicado no livro Da esperança à utopia (São Paulo: Sextante, 2001), do próprio Dom Paulo. Em primeira pessoa, ele fala sobre a vocação à vida religiosa e a missão social do ser religioso. “Qualquer coisa que tenha feito em minha vida ou ainda chegue a realizar explica o fato de eu ser padre. Fui por longos anos professor, mas sempre padre-professor, ao ensinar literatura, teologia ou didática. Escrevi livros e milhares de artigos mesmo antes da ordenação sacerdotal. Trazem a marca de padre. Amei muito na vida e passei por situações humilhantes, por calúnias graves e muito difundidas, mas sempre como padre ou porque desejei cumprir a missão que Cristo me confiou. Meu lema de bispo, arcebispo e cardeal – “De esperança em esperança” – foi escolhido na época em que eu era simples padre. Nem me custa acrescentar: gostaria de ver as angústias e promessas do mundo com o coração de padre. E quando, um dia, o coração deixar de bater, que o amor encontre na vida eterna a mesma forma de ser padre, assim como Cristo, o eterno sacerdote, o dispuser”.

Meu lema de bispo, arcebispo e cardeal – “De esperança em esperança” – foi escolhido na época em que eu era simples padre

A Arquidiocese de São Paulo divulgou uma nota em seu site informando o ocorrido.

Com profundo pesar, a Arquidiocese de São Paulo comunica o falecimento do Cardeal Paulo Evaristo Arns, arcebispo emérito de São Paulo, nesta quarta-feira, 14.
Aos 95 anos, Dom Paulo estava internado no Hospital Santa Catarina desde o dia 28 de novembro.

O funeral acontecerá na Catedral da Sé. As informações sobre missas e o sepultamento serão divulgadas em breve.

Dom Paulo foi 5º arcebispo de São Paulo, permanecendo à frente da Arquidiocese por 28 anos, entre 1970 e 1998. Anteriormente, de 1966 a 1970, foi bispo auxiliar de São Paulo. Em 1973 foi feito cardeal pelo Papa Paulo VI. Desde 1998, quando renunciou como arcebispo por motivo de idade, era arcebispo emérito de São Paulo.
No último dia 27 de novembro, Dom Paulo participou de uma missa na Catedral da Sé, em comemoração aos seus 71 anos de ordenação presbiteral.

Dom Paulo foi ordenado sacerdote em 30 de novembro de 1945, em Petrópolis (RJ). Seu lema sacerdotal "EX SPE IN SPEM" (De Esperança em Esperança).

No dia 2 de julho de 2016 celebrou na Catedral da Sé os 50 anos de sua Ordenação Episcopalcompletados no dia 3 de julho.

O episcopado de Dom Paulo à frente da Arquidiocese foi vivido em meio ao período da ditadura militar, mas isso não intimidou o Cardeal da Esperança de agir incansavelmente pela defesa da vida.

“Os cristãos terão ainda deveres especiais. Nessa época, mais do que em todas as outras, deverão eles implorar a presença e as luzes do Espírito Santo, em favor daqueles que vão abrir caminhos, definir rumos e indicar meios para chegarmos àquilo que é chamado por todos de ‘bem-comum’”, escreveu em um dos textos da seção " Encontro com o Pastor", do jornal O SÃO PAULO, semanário da Arquidiocese, em 1987.

Cardeal Odilo Pedro Scherer
Arcebispo metropolitano de São Paulo

Dom Paulo Coragem e Fé

Uma parceria entre a TV Puc e a TV Cultura de São Paulo produziu um documentário sobre a vida de Dom Paulo Evaristo Arns. Na ocasião eram celebrados os 80 anos do  então Arcebispo Emérito de São Paulo.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Dom Paulo Evaristo Arns, o cardeal da esperança, morre aos 95 anos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV