“A raiz de todas as mudanças é a radical transformação da cultura”. Artigo de José María Castillo

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Bispo brasileiro diz que ordenará mulheres ao diaconato se papa permitir

    LER MAIS
  • “A ética do cuidado é um contrapeso ao neoliberalismo”. Entrevista com Helen Kohlen

    LER MAIS
  • Irmã Dulce, símbolo de um Brasil que está se esquecendo dos pobres. Artigo de Juan Arias

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

17 Agosto 2016

“O Evangelho é o fator determinante da vida da Igreja? Ele está na estrutura fundamental de nossa cultura? É o critério orientador de nossas vidas? No dia em que tudo isto ficar resolvido e claro, nesse dia teremos a resposta resolvida e esclarecida para as nossas perguntas, as grandes perguntas da vida”, escreve o teólogo espanhol José María Castillo, em artigo publicado por Religión Digital, 13-08-2016. A tradução é do Cepat.

Eis o artigo.

Muita gente não se dá conta que o mais importante, que estamos vivendo nesse exato momento, não é a mudança de governo, nem a desejada mudança na economia, nem a almejada (ou temida) mudança de não poucas leis e costumes, nem as mudanças na religião e seus governantes. Tudo isso, claro, é importante. Mas, não é o fundamental.

A raiz de todas as mudanças está, neste momento, na radical transformação que estamos vivendo em nossa cultura. Por isso, tudo anda revirado. E por isso também, nesta inquietante situação, são muitas (muitíssimas) as pessoas que se fazem (ou nos fazemos) incontáveis perguntas para as quais não encontramos resposta.

Em muitos âmbitos da vida, dos quais não entendo nada (ou quase nada), ignoro inclusive as perguntas mais urgentes que nesse momento é preciso fazer. No terreno em que trabalho, há tantos anos, ou seja, no amplo campo da religião e suas muitas implicações na vida, há uma resposta para nossas perguntas, que é sem dúvida alguma a resposta mais firme, forte e clara que podemos encarar. E também a resposta que – a partir das crenças cristãs – precisamos aceitar.

Vou diretamente ao próprio centro deste assunto capital. Esta manhã, lendo São João da Cruz, encontrei este texto genial que o santo coloca na boca de Deus: “Se já falei a você de todas as coisas em minha Palavra, que é o meu Filho, e não tenho outra, que posso eu agora responder ou revelar que seja mais que isso? Põe os olhos apenas nele, porque nele eu lhe disse e revelei, e encontrará nele mais ainda do que pede e deseja. Porque você pede locuções e revelações em parte, e se põe os olhos nele, o encontrará em tudo; porque ele é toda minha locução e resposta e é toda minha visão e toda minha revelação. Por quem eu já tenho falado, respondido, manifestado e revelado, dando-o como irmão, companheiro e mestre, preço e prêmio” (Subida ao Monte Carmelo, livro 2 – cap. 22, n. 5).

“Põe os olhos apenas nele, porque nele tenho tudo dito”. Efetivamente, tudo o que Deus pode nos responder ou dizer, seja qual for a pergunta que façamos, e seja qual for a situação em que nos encontramos, a resposta que Deus pode nos dar está em Jesus. A resposta está sempre no que foi a vida de Jesus. Seu projeto de vida. Sua forma de entender a vida. O que foi importante para aquela vida.

Que todos tenhamos problemas, quem duvida? Que muitas pessoas possuam perguntas graves, talvez muito graves, para as quais não encontram resposta, é evidente. E tão evidente como é tudo isto, é igualmente que, nas situações complicadas que a vida nos apresenta, raro é o caso em que as pessoas nascidas e educadas na cultura cristã buscam a solução e a resposta na “Palavra” última, definitiva e total, a resposta aos problemas e perguntas mais sérias da vida, que é Jesus, a vida que Jesus levou, a solução que sempre teríamos que buscar e encontrar em Jesus.

E, por favor, que ninguém me diga que estou exagerando. Os problemas e as perguntas que a vida nos apresenta não são problemas e perguntas relacionados à saúde, o dinheiro, o êxito e o fracasso, o poder e seus privilégios, as relações humanas, o sentido ou a contradição da vida, o amor e o ódio, a felicidade ou a desgraça, a paz ou a violência, a liberdade ou a submissão, a boa ou a má consciência, a culpa, o perdão ou a vingança, a bondade ou os maus sentimentos, o triunfo ou o fracasso na vida, a fama ou o esquecimento geral?

Pois bem, é de tudo isto que a vida de Jesus nos fala, o projeto de Jesus, a Palavra que é Jesus. Por isso, muitas vezes, eu me pergunto o que nós, cristãos, fizemos com o Evangelho? Por que e para que o chamamos “Palavra do Senhor”? Principalmente, quando sabemos que nosso verdadeiro “senhor” é o dinheiro, é o poder, é a segurança para o futuro, é o bem viver, é o êxito, é o desfrutar a vida. Sejamos sinceros e honestos. O Evangelho é o fator determinante da vida da Igreja? Ele está na estrutura fundamental de nossa cultura? É o critério orientador de nossas vidas? No dia em que tudo isto ficar resolvido e claro, nesse dia teremos a resposta resolvida e esclarecida para as nossas perguntas, as grandes perguntas da vida.

Leia mais...

“Espanta-me que Müller e Sarah sejam tão intransigentes em questões que não são dogmas”. Artigo de José María Castillo

“A Igreja deslocou o eixo do Evangelho de Jesus para a religião dos sacerdotes”. Artigo de José María Castillo

Os obsessivos e moralizantes e a homofobia. Artigo de José María Castillo

“Jesus vivia com as pessoas. Essa é a cristologia que os apóstolos aprenderam”. Entrevista com José María Castillo

“Os cardeais mais religiosos andam desconcertados com um papa que procura ser mais evangélico”. Artigo de José María Castillo

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“A raiz de todas as mudanças é a radical transformação da cultura”. Artigo de José María Castillo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV