A Igreja ortodoxa russa determina que o Concílio de Creta não reflete “um consenso pan-ortodoxo”

Revista ihu on-line

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Mais Lidos

  • ''Há um plano para forçar Bergoglio a renunciar", denuncia Arturo Sosa

    LER MAIS
  • EUA: um complô para fazer com que o papa renuncie

    LER MAIS
  • A força de Theodor Adorno contra a extrema direita

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: André | 21 Julho 2016

“O Santo Sínodo determinou que o Concílio de Creta não pode ser considerado como pan-ortodoxo e os documentos que aprovou como expressão de um consenso pan-ortodoxo”. Após quase um mês de estudo e deliberação, chega a primeira avaliação considerada do Concílio de Creta da Igreja ortodoxa russa, através do presidente do Departamento Sinodal para a Igreja, Sociedade e Relações com a Imprensa, Vladimir Legoyda.

A reportagem é de Cameron Doody e publicada por Religión Digital, 19-07-2016. A tradução é de André Langer.

Em declarações à agência de notícias Interfax, Legoyda afirmou que, embora a reunião de representantes de 10 das 14 Igrejas ortodoxas autocéfalas – entre as quais não figuravam as Igrejas russa, búlgara, antioquena e georgiana – “tenha sido um evento importante na história do processo conciliar da Igreja ortodoxa”, não pode ser considerado como “pan-ortodoxa”, dado que as ausências da assembleia violam o princípio – muito importante na teologia e na eclesiologia ortodoxa – do consenso “conciliar”.

Os hierarcas que participaram do Concílio de Creta aprovaram seis documentos – que tocaram aspectos da prática do jejum, do matrimônio, das relações da Igreja ortodoxa com outras comunidades autocéfalas – junto com uma encíclica e uma mensagem em comum. E embora não se espere que dê lugar a grandes mudanças no parecer da Igreja ortodoxa russa, Legoyda comunicou que os oitos documentos serão entregues agora à Comissão Bíblica e Teológica do Sínodo russo, que os estudará profundamente e transmitirá suas opiniões sobre eles, no futuro, ao conjunto dos bispos desta Igreja.

Após a dura resposta preliminar da Igreja russa às resoluções de Creta – na qual o arcipreste Nikolay Balashov, vice-presidente do Departamento de Relações Externas do Patriarcado de Moscou, recordou aos padres do Concílio que a unanimidade, e não as simples maiorias, é o verdadeiro princípio que deve reger a tomada de decisões da Igreja – o Patriarcado de Antioquia divulgou uma nota que abria a porta para negociar alguns aspectos dos documentos aprovados pelo Santo e Grande Concílio.

Os hierarcas de um Sínodo antioqueno convocado para refletir sobre as decisões de Creta decidiram, de forma unânime, “considerar a reunião de Creta como uma reunião preliminar” a um Concílio futuro que fosse verdadeiramente pan-ortodoxo, e “considerar seus documentos não como finais, mas ainda suscetíveis a discussões e emendas”. Resoluções que, talvez, podem ser entendidas não tanto como concessões a Moscou, mas como um convite para continuar dialogando.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A Igreja ortodoxa russa determina que o Concílio de Creta não reflete “um consenso pan-ortodoxo” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV