Moratória da Soja é renovada por tempo indeterminado

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • EUA. Padre é suspenso por celebrar a missa rejeitando Francisco como Papa

    LER MAIS
  • Pela saúde da democracia. Manifesto luterano

    LER MAIS
  • Sobre a carta dos bispos. Profetismo incompreendido

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


11 Mai 2016

A Moratória da Soja, acordo feito entre governo, setor produtivo e sociedade civil para garantir que a soja brasileira só tenha acesso ao mercado de commodities caso a produção não esteja envolvida com desmatamento, trabalho escravo ou ameaças a terras indígenas, foi renovada ontem (9) por tempo indeterminado.

A reportagem é de Maiana Diniz, publicada por Agência Brasil, 10-05-2016.

O documento, assinado em cerimônia no Ministério do Meio Ambiente, prorroga a moratória “até que ela não seja mais necessária”. O compromisso foi ratificado pela ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira e pelos coordenadores do Grupo de Trabalho da Soja (GTS): o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Óleos Vegetais, Carlo Lovatelli, o diretor-geral da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais, Sergio Mendes, e o estrategista sênior de florestas do Greenpeace, Paulo Adario.

O GTS monitora o cumprimento do acordo a partir da análise de imagens de satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e da avaliação estatística feita em visitas de campo e sobrevoos, a partir da auditagem dos contratos entre fazendeiros e empresas compradoras.

Segundo o Greenpeace, “a Moratória da Soja é um dos melhores exemplos de como o desmatamento zero pode ser colocado em prática e a prova de que acabar com a destruição da Amazônia é vantajoso para todos”.

A moratória foi estabelecida em 2006 e é considerada uma contribuição importante para a redução do desmatamento na Amazônia, por desestimular a produção em áreas ilegais. Pelo acordo, as empresas comercializadoras não podem comprar soja de áreas que foram desmatadas após a assinatura da moratória. A data de referência foi mudada para 2008 para se alinhar ao novo Código Florestal. Desde então, a moratória vinha sendo renovada anualmente.

A soja lidera a pauta de exportações de commodities agrícolas do Brasil. Em 2015, o grão, o farelo e o óleo de soja geraram receita de US$ 31,27 bilhões.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Moratória da Soja é renovada por tempo indeterminado - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV