Uma delegação metodista e valdense foi recebida pelo Papa Francesco. A primeira vez isto acontece no Vaticano

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Propor vacinação só em março e alcançar no máximo 1/3 da população em 2021 é um crime

    LER MAIS
  • Papa Francisco desafia a esquerda católica

    LER MAIS
  • Papa Bergoglio: “A propriedade privada não é intocável, a justiça social é necessária”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


08 Março 2016

“Um encontro que encoraja todos a prosseguirem no caminho da colaboração e da comunhão entre as nossas igrejas”. Entre os temas enfrentados: a missão num mundo secularizado, o serviço aos últimos, os corredores humanitários e o diálogo inter-religioso. “Foi um encontro centrado na fraternidade e na autenticidade no estilo ao qual o Papa Francisco nos tem habituado”.

A reportagem foi publicada por Notizie Evangeliche - NEV, 05-03-2016. A tradução é de Benno Dischinger.

Assim o pastor Eugenio Bernardini, moderador da Távola valdense, descreveu a audiência que viu hoje no Vaticano, pela primeira vez na história, uma delegação oficial das igrejas metodistas e valdenses para encontrar o Papa.

“Foi um encontro que encorajou a todos a prosseguirem no caminho da colaboração e da comunhão entre as nossas igrejas, não obstante a diversidade, e às vezes também as divergências que nos contra distinguem – declarou ainda Bernardini.

“Em particular, emergiram duas áreas de colaboração. A primeira é a missão da Igreja num mundo sempre mais secularizado e distante do Evangelho, uma missão que deve caracterizar-se por linguagens novas, sem intentos proselitistas e sim no espírito do livre testemunho em Cristo. Em segundo lugar, uma colaboração no serviço ao mundo e à sociedade, aquela que nós chamamos diaconia e que, para o Papa Francisco: deve estar a serviço dos últimos. Também falamos daquela grande tragédia dos prófugos e da imigração que interroga o nosso continente europeu e naturalmente também as nossas igrejas”.

Na conversação foram citados os corredores humanitários promovidos pela Federação das igrejas evangélicas na Itália (FCEI), da Comunidade de Sant’ Egídio e da Távola valdense, e que levaram recentemente para a Itália, legalmente e em segurança, 97 pessoas consideradas particularmente vulneráveis. A perspectiva é de uma colaboração em nível europeu para que o modelo dos corredores humanitários possa ser apresentado e adotado também no âmbito de outras nações do continente. Além disso, registrou-se uma profunda sintonia no entender a dimensão ecumênica do diálogo inter-religioso, em particular com o Islã, num tempo no qual se reforçam ao mesmo tempo fundamentalismos e preconceitos.

A delegação valdense e metodista doou ao Papa uma série de desenhos inspirados nas histórias de prófugos e migrantes, apresentados num contendor construído com a madeira das barcaças de Lampedusa.

O Papa Francisco, ao invés, ofereceu à delegação acima os textos da encíclica “Louvado seja” e da “Evangelli guadium”. O Pontífice já havia encontrado os representantes das igrejas metodistas e valdenses no passado dia 22 de maio, num encontro havido junto à Igreja valdense de Turim. Além do moderador Bernardini, a delegação compreendia: Greetje van der Ver, Aldo Lausarot, Luca Anziani, Jens Hansen, Lothar Vogel, Maria Bonafede, Raul Matta, Claudio Paravati e Paolo Naso.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Uma delegação metodista e valdense foi recebida pelo Papa Francesco. A primeira vez isto acontece no Vaticano - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV