Um aplicativo para evitar o desperdício de alimentos

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Bispo brasileiro diz que ordenará mulheres ao diaconato se papa permitir

    LER MAIS
  • Príncipe Charles e Bolsonaro: as duas faces da “diplomacia” dos santos

    LER MAIS
  • Nobel de Economia vai para três estudiosos “comprometidos com a luta contra as pobrezas e as desigualdades sociais”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

04 Novembro 2014

Contra o desperdício de alimentos, em vez de jogar fora comidas boas, elas serão dadas para aqueles que não as têm. Comida de boa qualidade, zero quilômetro, nada de dinheiro.

A reportagem é de Maria Antonietta Calabrò, publicada no jornal Corriere della Sera, 01-11-2014. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

A iniciativa é sem precedentes, porque, através de um aplicativo, isto é, um programa que pode ser baixado em qualquer celular, será possível estabelecer uma ponte direta (em relação à distância local) e imediata (em relação ao tempo, isto é, no mesmo instante, no máximo de um dia outro) entre aqueles que têm mais comida do que o necessário e os pobres, os indigentes, os famintos, todos aqueles que lutam para ter o pão de cada dia, isto é, alimentos de qualidade, gratuitamente.

Os doadores

O projeto, que se chama "Fame Zero" (como a campanha da ONU e do Programa Alimentar Mundial, lançada pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon), tem três tipos de usuários: os "doadores", que doam a comida, os "anjos", que a entregam, e os "centros", os lugares físicos, a zero quilômetro de distância em relação aos doadores, onde será dada aos necessitados, em grande aumento nas nossas cidades por causa da crise.

A iniciativa terá início no dia 8 de dezembro próximo, quando será iluminada uma grande árvore de Natal na Piazza di Spagna, em Roma.

Mas foi ilustrada nos últimos dias em uma coletiva de imprensa no Palazzo Chigi, com a presença do subsecretário da Presidência do Conselho italiano, Sandro Gozi (o governo também apoia a ideia em vista da Expo de Milão, cujo tema é "Alimentar o planeta, energia para a vida"), e do representante do Programa Alimentar Mundial da ONU.

Entre os promotores, o embaixador de Belize na Itália, Nunzio Alfredo D'Angieri, e o bispo espanhol Francisco Froján, que trabalha na segunda seção da Secretaria de Estado vaticana.

Como funciona

Dom Froján explicou que o objetivo é o de criar um espaço em que os usuários possam obter comida gratuitamente.

"Por exemplo, imaginem, vocês deram uma festa em casa e têm latas de atum a mais. É possível compartilhar essas informações na internet e no nosso aplicativo. O 'anjo' chegará naquela mesma noite, e os alimentos serão imediatamente entregues a alguém que precisa."

O presidente da Caritas Internationalis, o cardeal hondurenho Óscar Rodríguez Maradiaga, destacou a importância do projeto em escala global, mas os centros Cáritas serão apenas uma parte dos "centros" do Fame Zero também na Itália.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Um aplicativo para evitar o desperdício de alimentos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV