Escola de Formação de São Gabriel da Cachoeira: construir uma Igreja com rosto amazônico

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • 'Eu nunca recusei a Eucaristia a ninguém. A comunhão não é um prêmio para os perfeitos'. Entrevista com o papa Francisco voltando da Eslováquia para Roma

    LER MAIS
  • As causas do êxodo de trabalhadores da Uber

    LER MAIS
  • A gestão econômica nas paróquias do futuro

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


22 Julho 2021

 

O Sínodo para a Amazônia deu um impulso definitivo à necessidade de fazer realidade uma Igreja com rosto amazônico e rosto indígena. Aos poucos, a Igreja da Amazônia vai dando passos nesse sentido, ajudando os agentes de pastoral e as lideranças a entender e assumir esse jeito de ser Igreja.

A reportagem é de Luis Miguel Modino

Na diocese de São Gabriel da Cachoeira, a circunscrição eclesiástica com maior porcentagem de população indígena do Brasil, está acontecendo a Escola de Formação, que tem como objetivo “formar lideranças testemunhas capazes de dar razão da própria fé e ajudar a construir comunidades eclesiais com rosto amazônico”.

 

Fotos enviadas pela Escola de Formação

A escola vai se prolongar ao longo de três anos, com seis módulos, que acontecerão nos meses de julho e janeiro. No dia 18 de julho começou o primeiro módulo, que vai se prolongar até o dia 31 de julho. A escola pretende capacitar para a liderança e animação bíblica, litúrgica, sacramental, possibilitando formação para lideranças que vivam a palavra e os sacramentos que celebram. Junto com isso, será momento para as lideranças aprofundarem na própria fé e nos princípios e valores da ética cristã e da cidadania.

 

Fotos enviadas pela Escola de Formação

A metodologia prevista para a escola vai ter momentos teóricos e práticos com aprofundamentos dos conteúdos, que depois serão repassados nas paróquias e comunidades. Junto com isso os participantes vão participar de oficinas da leitura orante, do ofício divino e da Celebração da Palavra como método e prática.

 

Padre Justino | Fotos enviadas pela Escola de Formação

O primeiro módulo tem 80 participantes de todas as paróquias da diocese. Dentre eles se fazem presentes 10 povos indígenas: Tukano, Yanomami, Baré, Baniwa, Piratapuia, Werekena, Arapaso, Desano, Tariano e Tuyuka. A temática está sendo Antropologia cultural e Teológica, com a assessoria dos padres Justino Rezende e Sidicley Meireles, indígenas nascidos na diocese de São Gabriel da Cachoeira, eclesiologia, com o padre Zenildo Lima, reitor do Seminário São José de Manaus, e Leitura Orante e celebrações com a assessoria do padre Odílio Gentil dos Santos, também indígena.

Fotos enviadas pela Escola de Formação

 

Fotos enviadas pela Escola de Formação

 

Fotos enviadas pela Escola de Formação

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Escola de Formação de São Gabriel da Cachoeira: construir uma Igreja com rosto amazônico - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV