A justiça do amor

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Cardeal Gracias: a Igreja deve abandonar o “preconceito” contra a liderança feminina

    LER MAIS
  • O encontro histórico entre Greta Thunberg e Malala Yousafzai

    LER MAIS
  • Impeachment de Dilma abriu a ‘caixa de Pandora’ que hoje legitima o machismo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

14 Fevereiro 2020

“Não pensem que eu vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim abolir, mas dar-lhes pleno cumprimento. Eu garanto a vocês: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem sequer uma letra ou vírgula serão tiradas da Lei, sem que tudo aconteça.”

“Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazer o mesmo, será considerado o menor no Reino do Céu. Por outro lado, quem os praticar e ensinar, será considerado grande no Reino do Céu. Com efeito, eu lhes garanto: se a justiça de vocês não superar a dos doutores da Lei e dos fariseus, vocês não entrarão no Reino do Céu.”

“Vocês ouviram o que foi dito aos antigos: 'Não mate’! Quem matar será condenado pelo tribunal'. Eu, porém, lhes digo: todo aquele que fica com raiva do seu irmão, se torna réu perante o tribunal. Quem diz ao seu irmão: 'imbecil', se torna réu perante o Sinédrio; quem chama o irmão de 'idiota', merece o fogo do inferno. Portanto, se você for até o altar para levar a sua oferta, e aí se lembrar de que o seu irmão tem alguma coisa contra você, deixe a oferta aí diante do altar, e vá primeiro fazer as pazes com seu irmão; depois, volte para apresentar a oferta. Se alguém fez alguma acusação contra você, procure logo entrar em acordo com ele, enquanto estão a caminho do tribunal; senão o acusador entregará você ao juiz, o juiz o entregará ao guarda, e você irá para a prisão. Eu garanto: daí você não sairá, enquanto não pagar até o último centavo.”

“Vocês ouviram o que foi dito: 'Não cometa adultério'. Eu, porém, lhes digo: todo aquele que olha para uma mulher e deseja possuí-la, já cometeu adultério com ela no coração. Se o olho direito leva você a pecar, arranque-o e jogue-o fora! É melhor perder um membro, do que o seu corpo todo ser jogado no inferno. Se a mão direita leva você a pecar, corte-a e jogue-a fora! É melhor perder um membro do que o seu corpo todo ir para o inferno.”

Também foi dito: 'Quem se divorciar de sua mulher, lhe dê uma certidão de divórcio'. Eu, porém, lhes digo: todo aquele que se divorcia de sua mulher, a não ser por causa de fornicação, faz com que ela se torne adúltera; e quem se casa com a mulher divorciada comete adultério’.

“Vocês ouviram também o que foi dito aos antigos: 'Não jure falso', mas 'cumpra os seus juramentos para com o Senhor'. Eu, porém, lhes digo: não jurem de modo algum: nem pelo Céu, porque é o trono de Deus; nem pela terra, porque é o suporte onde ele apoia os pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei. Não jure nem mesmo pela sua própria cabeça, porque você não pode fazer um só fio de cabelo ficar branco ou preto. Diga apenas 'sim', quando é 'sim'; e 'não', quando é 'não'. O que você disser além disso, vem do Maligno.”

Leitura do Evangelho de Mateus 5, 17-37. (Corresponde ao 6° Domingo do Tempo Comum, ciclo A do Ano Litúrgico).

O comentário é de Ana Maria Casarotti, Missionária de Cristo Ressuscitado.

A justiça do amor

Junto com as Bem-aventuranças e as parábolas do sal e da terra situa-se o texto lido este domingo no cenário do Sermão da Montanha. Para compreender toda a riqueza deste discurso deve-se considerar Moisés e o Monte Sinai como pano de fundo. Desta forma apreciaremos melhor sua riqueza e perceberemos suas diferenças e contrastes.

O evangelista escreve para uma comunidade cristã que procura reorganizar-se no seu estilo de vida e por isso é necessário aprofundar sua identidade. Lembre-se que este evangelho está dirigido a pessoas que anteriormente pertenciam ao judaísmo. Possivelmente a ruptura com o judaísmo tinha-lhes deixado numa situação de marginalização social e religiosa. Pessoas desprezadas por causa do seu estilo de vida escolhido pelo seu seguimento a Jesus. Por isso é fundamental aprofundar a identidade do cristão. Quais são as novas orientações para sua vida de discípulos e discípulas de Jesus? Quais são as características e o compromisso do novo estilo de vida como cristãos? Como devem agir e quais são as orientações que devem seguir?

O evangelista Mateus dirige-se aos cristãos em contraposição aos escribas. Continua apresentando os valores do Reino e convida os cristãos a descobrir a riqueza do seguimento de Jesus considerando também as dificuldades que devem percorrer e os perigos que pode trazer cumprir simplesmente a lei.

"Não pensem que eu vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim abolir, mas dar-lhes pleno cumprimento”. Assim começa a passagem evangélica lida hoje. Possivelmente havia uma pergunta ou até discussão entre os cristãos sobre a necessidade de cumprir a Lei. Nas suas palavras Jesus responde a esta pergunta propondo uma atitude essencial para viver como cristão. Sua proposta não é abolir a lei ou desvalorizar suas exigências senão pelo contrário. Jesus procura levar a um entendimento mais profundo da Lei.

Não se trata de cumprir normas externas, mas de assumir uma atitude interior de adesão a Deus e ao seu Reino. Por isso ele não vem abolir, desconsiderando suas propostas, mas sim “dar pleno cumprimento”. A mensagem que Jesus prega é o coração da vida cristã. Sua normativa vem de dentro e deve impregnar toda a vida da pessoa: seu sentir, seu pensar, seu agir, seu comportamento com as outras pessoas, sua atitude diante da injustiça. A vida do cristão não está regida por meras atitudes externas que não o comprometem.

Podemos perguntar-nos quais são os sentimentos dos discípulos quando escutam o que Jesus está-lhes falando? Não é difícil pensar que na vida das novas comunidades cristãs existiam dificuldades entre eles e com as novas gerações que iam se incorporando. Seguir Jesus leva a um compromisso mais profundo e sincero.

Neste domingo Jesus nos convida a abrir-nos ao projeto de salvação que Deus tem para cada pessoa. Um projeto que é preciso descobrir e que não pode ser limitado a uma atitude exterior que pode converter-se num costume, mas não muda a vida da pessoa.

Somos chamados e chamadas a refletir sobre nossa atitude interior, sobre nossos pensamentos e sentimentos interiores e levar adiante uma conversão de vida que nos faça crescer no amor e na caridade com as demais pessoas. Nada pode ser exclusivo nem excludente. O Reino proclamado por Jesus é Boa Notícia para cada um de nós que nos consideramos seus seguidores/as e vivemos o estilo de vida anunciado por ele, com sua novidade que nos leva a arriscar a vida doando-a aos outros. Desta forma comunicaremos a alegria de ser cristãos

Ser fiéis a Jesus e seguir seu caminho convida-nos a ir além de uma letra ou uma lei e alimentar continuamente o fogo do Espírito que nos transforma em verdadeiros seguidores e testemunhos de Jesus. Deixemos ressoar as palavras que nos dirige o papa Francisco: "Anunciar o Evangelho não consiste em assediar os outros com discursos apologéticos, gritar na cara dos outros inclusive de maneira raivosa a verdade da Revelação. Muito menos serve jogar sobre os outros verdades e fórmulas doutrinárias como se fossem pedras”. Em vez disso, explica ainda o Papa, uma "característica distintiva" de ser cristão em missão "é agir como facilitadores e não como controladores da fé. Facilitar, tornar fácil, não colocar obstáculos ao desejo de Jesus de abraçar a todos, de curar a todos, de salvar a todos. Não fazer seleções, não fazer ‘alfândegas pastorais’”. Francisco e a missão: “Jogar verdades e fórmulas doutrinais como pedras não é cristão”.

Oração

Servidor de todos

Te foi dito:

Rodeia-te de triunfadores.
Para que tua vida seja um êxito
serve-te de todos.
Retém em tua memória
o nome do rico,
e anota o telefone
do rosto feminino
que sorri no concurso.
Forra as paredes de tua casa
com assinaturas de pintores
de prestígio e de dinheiro.
Enche tua boca
com os nomes
que ocupam o cenário
da glória escorregadia.
Faze-te vizinho, compadre,
de seu clube e seu partido.
que todas estas famas
te emprestem seu prestígio.

Mas A Palavra diz:

Senta a tua mesa
os que não podem
convidar-te em sua casa
arrastada pelo rio,
e empresta sem enrugar a cara
ao que não pode devolver-te
teu dinheiro no prazo estipulado
porque as horas extras
se perderam no computador
da zona franca.
Haverão encontrado em ti
a resposta de deus
a sua angústia cotidiana.
e tu sentirás atravessar
algo de deus passando
pelo centro de ti mesmo
para chegar até o irmão.

Ao romper com este gesto
de gratuita proximidade
as leis e as cátedras
do investimento
bem calculado,
um manancial de eternidade
te chegará entre tuas pedras,
e fará de ti um servidor de todos,
cheio de graça e de sabor.

Benjamin González Buelta.
Salmos para sentir e saborear as coisas internamente. 

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A justiça do amor - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV