Oficina de exibição e discussão da série audiovisual “Negritude e Branquitude: novos olhares”

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Irreverência

    LER MAIS
  • Uma prova do conclave. O próximo papa assumirá o nome da Comunidade de Santo Egídio

    LER MAIS
  • “Eu estou tirando Deus da Bíblia”. Entrevista com Marc-Alain Ouaknin

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

11 Novembro 2019

Centro de Promoção de Agentes de Transformação (CEPAT) promoverá uma Oficina de exibição e discussão da série audiovisual Negritude e Branquitude: novos olhares, no dia 20-11, às 8h, nas dependências do Colégio Estadual Dona Branca do Nascimento Miranda. Essa iniciativa é uma parceria entre a escola, o CEPAT, a União Paranaense dos Estudantes Secundaristas (UPES) e o Grêmio Estudantil do Colégio Dona Branca.

A série audiovisual Negritude e Branquitude: novos olhares apresenta depoimentos e vivências na capital paranaense que manifestam um forte dinamismo de luta e resistência contra o racismo, a intolerância e a homogeneidade cultural.

Focada na importância de relações sociais justas, a série valoriza a pluralidade de visões de mundo, crenças religiosas, expressões culturais e a perspectiva de gênero, com forte protagonismo político.

A iniciativa é do Centro de Promoção de Agentes de Transformação (CEPAT), com a direção de Gustavo Castro e apoio do Instituto Humanitas Unisinos (IHU), Observatório Nacional de Justiça Socioambiental Luciano Mendes de Almeida (OLMA) e Associação Cultural de Negritude e Ação Popular (ACNAP).

Em três episódios - Negritude em Resistência (10 min), Caminhos de Religação (10 min) e O samba que reconta Curitiba (12 min) - a série evidencia como se costura na vida das(os) entrevistadas(os) o engajamento político, a espiritualidade e a cultura, a partir da resistência negra na capital paranaense.  

O forte acento no protagonismo das mulheres, aliado ao debate das relações étnico-raciais, torna essa produção um rico material didático para se contrapor aos atuais discursos de ódio e intolerância no cenário brasileiro

Agende a sua oficina

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Oficina de exibição e discussão da série audiovisual “Negritude e Branquitude: novos olhares” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV