Padres jesuítas analisam visita do papa ao Japão

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Segunda onda da covid-19 no Brasil é ‘risco iminente’, alerta Nicolelis

    LER MAIS
  • A horripilante foto eleitoral da ‘terrorista de direita’

    LER MAIS
  • Como o desumano entrou no humano. Artigo de Marco Revelli

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


30 Outubro 2019

Dois padres jesuítas compartilharam suas ideias sobre a vida cotidiana do Papa Francisco, antes de sua visita ao Japão no próximo mês. Os dois falaram em uma coletiva de imprensa na Universidade Sophia, em Tóquio, na segunda-feira passada.

A reportagem é publicada por NHK World Japan, 29-10-2019. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Renzo De Luca é o provincial jesuíta do Japão, e Juan Haidar é o diretor do Centro Católico da Universidade Sophia. Ambos foram alunos do Papa Francisco quando ele lecionava teologia na Argentina.

De Luca disse que o papa viajava de ônibus e de metrô mesmo depois de ter alcançado uma posição que o autorizava a usar um motorista pessoal. Ele acrescentou que o papa sempre dizia que queria compartilhar as alegrias e as ansiedades das pessoas comuns.

De Luca também descreveu como o papa gosta de futebol, dança tango e nunca se esquece dos sentimentos das pessoas comuns.

Haidar disse que admira o Papa Francisco como um pai. Ele disse que é difícil ler o que há por trás das mensagens do papa, pois ele as pensa por conta própria.

Mas ele disse ter ouvido o papa dizendo que a criação das armas nucleares se baseava na ideia de que “a paz é impossível”. Haidar disse que, sem dúvida, o pontífice quer criar um mundo livre de armas nucleares.

A viagem do Papa Francisco ao Japão, entre os dias 23 e 26 de novembro, será a primeira visita papal ao país em 38 anos.

Ele deve visitar duas cidades japonesas que sofreram bombardeios atômicos. Espera-se que o papa profira uma mensagem sobre o desarmamento nuclear em Nagasaki e faça uma manifestação de paz em Hiroshima.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Padres jesuítas analisam visita do papa ao Japão - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV