Estados Unidos. Pesquisa revela que 37% dos católicos avaliam abandonar a igreja após os escândalos de abuso infantil

Revista ihu on-line

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Etty Hillesum - A resistência alegre contra o mal

Edição: 534

Leia mais

Mais Lidos

  • A maior ameaça para a humanidade não é a mudança climática, mas a Inteligência Artificial, afirma o filósofo de Oxford apoiado por Bill Gates

    LER MAIS
  • Dormir na rua e pedalar 12 horas por dia: a rotina dos entregadores de aplicativos

    LER MAIS
  • A lição da economista do Papa entre desenvolvimento, responsabilidade e ecologia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

15 Março 2019

Mais de um terço dos católicos dos Estados Unidos (37%) questionam hoje seu compromisso com a Igreja, segundo pesquisa realizada pela agência de pesquisas Gallup, em janeiro e fevereiro de 2019, e publicada neste dia 13 de março.

A reportagem é publicada por RT, 14-03-2019. A tradução é do Cepat.

A amostra recolheu os pareceres de 581 pessoas participantes na Igreja católica. Os resultados indicam que o atual escândalo em torno dos abusos sexuais, por parte do clero, é mais impactante que o de 2002, que atingiu a Arquidiocese de Boston. Naquele ano, a taxa dos católicos que colocavam em dúvida a Igreja era de 22%.

O crédito conferido ao clero se correlaciona com a frequência na qual cada pessoa participa dos ritos do culto. Sendo assim, 46% dos que nunca ou raramente comparecem à Igreja questionam hoje a religião. Entre os que costumam ir à missa todo mês, 37% tem a mesma atitude em relação à Igreja. E não é surpresa que a taxa de céticos seja mínima entre aqueles que vão ao templo toda semana, que equivale a 22%.

Os pesquisadores detalharam quatro categorias de clérigos: sacerdote da igreja da qual o pesquisado participa; o Papa Francisco e sacerdotes não conhecidos estadunidenses; e bispos e outros chefes da Igreja nos Estados Unidos. Foi solicitado aos entrevistados que, em cada um desses casos, definissem seus níveis de confiança a partir de quatro possíveis escalas: “muita”, “bastante”, “alguma” e “muito pouca/nenhuma”.

As categorias de clérigos mais autorizados foram os sacerdotes locais conhecidos pessoalmente pelos entrevistados, junto com o Papa Francisco. Neles, 41% dos católicos confiam “muito”. Ao acrescentar o número de pesquisados que acreditam neles “bastante” (18%), é possível concluir que mais da metade dos católicos estadunidenses lhes conferem credibilidade.

Ao contrário, os bispos e outros chefes da Igreja dos Estados Unidos e os sacerdotes não conhecidos suscitam mais desconfiança que credibilidade. Sendo assim, apenas 19% dos católicos acreditam “muito” nos bispos do país, ao passo que 26% dizem que só têm neles “muito pouca/nenhuma” confiança. Os números respectivos para sacerdotes não conhecidos são de 20% e 25%.

Não se pode dar por certo que 37% dos católicos que questionam seu compromisso com a Igreja a deixarão, dizem os analistas da Gallup. Mas, sim, apontam que a situação é grave para a instituição, já que o escândalo vigente vem se somar à tendência, a longo prazo, de abandono da religião formal.

A própria credibilidade do Sumo Pontífice não é muito alta, indicam os sociólogos: “Os católicos estadunidenses ainda confiam no Papa Francisco, mas é possível argumentar que os 58% que expressam sua confiança nele é algo frágil, dado seu papel como líder da Igreja católica”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Estados Unidos. Pesquisa revela que 37% dos católicos avaliam abandonar a igreja após os escândalos de abuso infantil - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV