Carlos Brandão na oração inter-religiosa desta semana

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Instrumentum Laboris do Sínodo para a Amazônia, um novo passo de “um 'kairós' para a Igreja e o mundo”

    LER MAIS
  • “Minha filha trans e católica é uma prova viva de como o Vaticano está errado em relação ao gênero”

    LER MAIS
  • Anule-se tudo que aconteceu a partir da criação da Lava Jato

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

21 Dezembro 2018

Neste espaço se entrelaçam poesia e mística. Por meio de orações de mestres espirituais de diferentes religiões, mergulhamos no Mistério que é a absoluta transcendência e a absoluta proximidade. Este serviço é uma iniciativa feita em parceria com o Prof. Dr. Faustino Teixeira, teólogo, professor e pesquisador do PPG em Ciências da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora - MG.

Advento

A alma tem disso no Advento:
Ela espera pelo anúncio de uma estrela
e o murmúrio do choro de um menino.
“Deus - diziam os antigos –
é quem fica quando tudo foi embora”.
Mas tudo é muito para quem espera tanto
e um deus que nasce bem pode ser assim.
Pois dele eu quero um toque pequenino
do gesto com as mãos sem o milagre
e sem o brilho de uma estrela no Oriente,
Quero os passos de três velhos no deserto.
Quero um pouco de paz, um pouco, mas sem fim.
E o bem do amor, como um pão que se reparte
quando veio a noite e um fogo aceso
reúne em volta seis homens que se abraçam
e perguntam pelo nome, uns dos outros
e semeiam pelo campo pés de amora
e vão embora sem tempo de colher.

Fonte: poema original de Carlos Rodrigues Brandão.

 


Carlos Brandão | Foto: YouTube

Carlos Rodrigues Brandão (1940): Carioca, é licenciado em psicologia, mestre em Antropologia Social e doutor em Ciências Sociais, com pós-doutorado pela Universitá degli studi di Perugia, Itália, e pela Faculdade de Geografia e História da Universidad de Santiago, Espanha. É professor Emérito da Unicamp e um dos criadores do Programa de Doutorado em Ciências Sociais da mesma universidade. Também é Comendador do Mérito Científico pelo Ministério de Ciência e Tecnologia e professor emérito da Universidade Federal de Uberlândia.

Em 2006 foi agraciado com a medalha Roquette Pinto da Associação Brasileira de Antropologia. Em 2008 e 2010, recebeu o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal de Uberlândia e pela Universidade Federal de Goiás. Com mais de 30 obras publicadas, Brandão pesquisa, principalmente, antropologia rural e antropologia da religião, culturas populares, educação rural e educação popular. Entre seus livros, destacamos: O Que é Folclore (1985); Festim dos Bruxos (1987); Somos as Águas Puras (1994); Orar Com o Corpo (2005); A senda da estrela: poemas de Galícia e do Camino de Santiago (2009); Memória do sagrado: estudos de religião e ritual (1985).

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Carlos Brandão na oração inter-religiosa desta semana - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV