O desaparecimento de Robert Spaemann

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Instrumentum Laboris do Sínodo para a Amazônia, um novo passo de “um 'kairós' para a Igreja e o mundo”

    LER MAIS
  • “Minha filha trans e católica é uma prova viva de como o Vaticano está errado em relação ao gênero”

    LER MAIS
  • “O Judiciário foi usado como vingança e impediu que a democracia siga seu curso”, afirma a antropóloga Lilia Schwarcz

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

13 Dezembro 2018

Imediatismo e autenticidade são as palavras escolhidas por Patrick Bahners para lembrar na "Frankfurter Allgemeine Zeitung" de 12 de dezembro, o filósofo católico Robert Spaemann que morreu em 10 de dezembro, em Stuttgart. Nascido em 5 de maio, 1927 em Berlim, havia se formado com Joachim Ritter em Münster, estudando em especial Louis de Bonald e Fenelon. De 1973 a 1992 lecionou filosofia em Mônaco, dedicando sua reflexão sobre a relação entre a natureza e a razão, uma razão guiada e iluminada pela fé.

A informação é publicada por L’Osservatore Romano, 12/13-12-2018. A tradução é de Luisa Rabolini.

Espírito independente e polêmico, nos anos 1950 havia se alinhado contra o rearmamento alemão, depois fez oposição à energia nuclear e à decadência do ensino em uma crítica cada vez mais ferrenha à modernidade.

Membro da Pontifícia Academia para a Vida, desenvolveu uma forte postura crítica contra o aborto, a eutanásia e a definição da morte encefálica estabelecida em Harvard.

Nos últimos anos, havia expressado comentários muito críticos contra a exortação apostólica Amoris laetitia

Entre suas obras traduzidas para o italiano estão Felicità e benevolenza (Vita e Pensiero, 1998 – livro também traduzido para o português); Tre lezioni sulla dignità della vita umana (Lindau, 2011), Dio e il mondo. Un’autobiografia in forma di dialogo (Cantagalli, 2014).

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O desaparecimento de Robert Spaemann - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV