Comunicação em sociedades diversas

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Desmonte do SUS: decreto anuncia privatização da atenção básica em retrocesso histórico

    LER MAIS
  • Francisco desafia Trump com primeiro cardeal afro-americano

    LER MAIS
  • Surgem provas de que o Vaticano censurou o Papa Francisco em 2019

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


24 Agosto 2018

San José da Costa Rica e, em particular, a Universidad de Costa Rica, foi cenário do XIV Congresso da Associação Latino-americana de Pesquisadores da Comunicação (Alaic), reunida pelo lema de trabalho “Comunicação em sociedades diversas: horizontes de inclusão, equidade e democracia”. O encontro no país centro-americano concentrou 600 especialistas em comunicação de todos os países latino-americanos e caribenhos e outros vindos de países além das fronteiras continentais.

A reportagem é de Washington Uranga, publicada por Página|12, 22-08-2018. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

Durante três dias de intercâmbio, conferências, painéis e oficinais, os que investigam os processos de comunicação na região dialogaram sobre suas preocupações, os resultados das suas pesquisas e as metodologias que desenvolvem em seus trabalhos.

O propósito do encontro foi analisar, a partir de distintos olhares, a intervenção da comunicação nos diversos processos políticos, socioculturais, econômicos e tecnológicos e suas implicações na inclusão e equidade social. Uma problemática enriquecida pelo trabalho intelectual dos pesquisadores participantes nas conferências, painéis e atividades dos grupos temáticos.

A Alaic entende que a comunicação tem um lugar cada vez mais decisivo nos processos de inclusão, equidade, democracia, justiça e liberdade. Por esse motivo se promoveu o diálogo em torno a esses temas e suas diferentes perspectivas de análise.

O congresso foi inaugurado com uma conferência magistral da comunicadora e antropóloga mexicana Rossana Reguillo, oferecendo um panorama dos desafios atuais da comunicação, em particular os que planejam os novos desenvolvimentos digitais e a atividade comunicacional das gerações jovens.

Ao longo das três jornadas os debates se organizaram em 19 grupos temáticos que também desenvolvem suas atividades entre congressos, e quatro grupos de interesse. Os diferentes temas combinaram a comunicação com interculturalidade, organizações e relações públicas, a política, educação, saúde, economia política, recepção, cidadania, teoria e metodologia, desenvolvimento, estudos socioculturais, publicidade, mudança social, publicidade, cidade, jornalismo, liberdade de expressão e direito à comunicação, história, o digital, redes e processos, cinema e audiovisual, ficção televisiva e narrativa trans-mídia, gênero e diversidade sexual e decolonialidade. Todo um menu que, sem perder a cordialidade típica dos encontros latino-americanos e caribenhos, deixou espaço também para a controvérsia, a exposição das diferenças e a aparição de novas pistas para a investigação.

No marco do congresso também se realizou a assembleia da Alaic para escolher autoridades para o próximo período. A votação consagrou um novo grupo diretivo que estará encabeçado por Gustavo Cimadevilla, pesquisador argentino da Universidad Nacional de Río Cuarto, que exercerá a presidência do organismo continental. Como vice-presidente se desempenhará Gabriel Kaplún (Uruguai) e ambos estarão acompanhados no conselho diretivo por Tanius Karam (México), Daniela Monje (Argentina), Sandra Osses (Colômbia) e Fernando Paulino (Brasil).

Embora não seja costume da Alaic emitir documentos conclusivos dos seus encontros, em várias das intervenções ficou evidente a preocupação dos pesquisadores da comunicação latino-americanos e caribenhos pelas cruzes entre comunicação e democracia, a forma como as corporações midiáticas condicionam os processos políticos em toda a região, com graves consequências para a liberdade de expressão e o exercício efetivo do direito à comunicação.

Outros dois temas emergentes, de distintas maneiras e com variadas consequências, é o desenvolvimento vertiginoso da tecnologia, introduzindo mudanças significativas nos processos, os modos e as metodologias de exercer a comunicação.

As memórias do congresso, que incluem tanto as conferências como as exposições apresentadas nos grupos temáticos, estarão disponíveis em breve no site com acesso livre.

O próximo congresso dos pesquisadores latino-americanos e caribenhos da comunicação se levará a cabo no ano 2020 em Medellín, na sede da Universidad Pontifícia Bolivariana da cidade colombiana.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Comunicação em sociedades diversas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV