Mudanças Climáticas: estudo estima que rendimentos da pesca podem ser dramaticamente reduzidos

Revista ihu on-line

Junho de 2013 – Cinco Anos depois.Demanda de uma radicalização democrática nunca realizada

Edição: 524

Leia mais

A esquerda e a reinvenção da política. Um debate

Edição: 523

Leia mais

A virada profética de Francisco – Uma “Igreja em saída” e os desafios do mundo contemporâneo

Edição: 522

Leia mais

Mais Lidos

  • Mãe de jovem morto no Rio: "É um Estado doente que mata criança com roupa de escola"

    LER MAIS
  • Uma viagem rumo à unidade das Igrejas

    LER MAIS
  • EUA. Bispos! Soem as trombetas, estamos esperando

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

14 Março 2018

Até 2300, as mudanças climáticas podem fazer com que os rendimentos das pescarias diminuam em até 20% em todo o mundo, e em até 60% no Atlântico Norte, sugere um novo estudo de modelagem. O estudo atribui principalmente esse declínio à falta de mistura oceânica, de modo que os nutrientes afundem no oceano profundo em vez de permanecerem na superfície do oceano; tais alterações na mistura do oceano acabariam por diminuir as populações de peixes perto da superfície, dizem os autores.

A informação é publicada por American Association For The Advancement Of Science e reproduzida por EcoDebate, 13-03-2018. Tradução e edição de Henrique Cortez.

Os modelos de mudança climática estimam consistentemente que as pescarias diminuirão até o final deste século, mas poucos esforços para explorar quais mudanças podem ocorrer além de 2100. Aqui, J. Keith Moore e colegas usaram modelagem para explorar os efeitos das mudanças climáticas nas pescarias sob um cenário de “business-as-usual”, pelo qual as emissões de carbono continuam aceleradas, no mesmo nível que estão agora.

O Oceano Austral atualmente experimenta a mistura entre o fundo e as camadas oceânicas superiores, fornecendo uma quantidade tão importante de nutrientes para a superfície que uma abundância flui para outros oceanos. No entanto, simulações de Moore et al. sugerem que uma combinação de ventos em mudança e camadas oceânicas superiores mais quentes, além de uma mudança de emergência de nutrientes no Antártico, causará uma porção aumentada de nutrientes para afundar na camada mais profunda do oceano e ficar preso lá (por exemplo, o valor de fosfato sendo substituído será reduzido em 41%, segundo as estimativas do modelo).

Isso reduzirá a entrega de nutrientes para outras áreas oceânicas, observam. Enquanto o aquecimento e a estratificação do oceano aumentarão globalmente, a mistura profunda no Atlântico Norte será particularmente reduzida, acham os autores. Eles observam que os efeitos a longo prazo dessas mudanças significam que a pesca será reduzida por mil anos ou mais. Charlotte Laufkötter e Nicolas Gruber discutem esse estudo em uma perspectiva relacionada.

Sustained climate warming drives declining marine biological productivity
J. Keith Moore1,*, Weiwei Fu1,*, Francois Primeau1, Gregory L. Britten1, Keith Lindsay2, Matthew Long2, Scott C. Doney3, Natalie Mahowald4, Forrest Hoffman5, James T. Randerson1
Science 09 Mar 2018:
Vol. 359, Issue 6380, pp. 1139-1143
DOI: 10.1126/science.aao6379

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mudanças Climáticas: estudo estima que rendimentos da pesca podem ser dramaticamente reduzidos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV