Imigrantes haitianos denunciam empresa gaúcha por más condições de trabalho e ameaças

Revista ihu on-line

Junho de 2013 – Cinco Anos depois.Demanda de uma radicalização democrática nunca realizada

Edição: 524

Leia mais

A esquerda e a reinvenção da política. Um debate

Edição: 523

Leia mais

A virada profética de Francisco – Uma “Igreja em saída” e os desafios do mundo contemporâneo

Edição: 522

Leia mais

Mais Lidos

  • Ensaio de Spadaro e Figueroa sobre Evangelho da Prosperidade irrita direita cristã

    LER MAIS
  • "Igreja Católica não deveria ficar chocada com o caso do cardeal McCarrick: deveria se envergonhar", afirma editorial de revista jesuíta

    LER MAIS
  • La Civiltà Cattolica se lança contra a "teologia da prosperidade" e seu apoio a Trump

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

11 Janeiro 2018

Um grupo de dez imigrantes haitianos fez uma denúncia de más condições de trabalho e falta de pagamentos, além de discriminação e ameaças de agressão contra uma empresa de Caxias do Sul, na serra gaúcha.

A informação é publicada por Jovem Pan, 11-01-2018.

A denúncia foi primeiramente feita no Sindicato dos Metalúrgicos da cidade. Os haitianos, que vivem há cinco anos em Caxias do Sul, eram funcionários de empresa contratada por outra de Panamby, no noroeste do Estado.

Eles trabalhavam na montagem de silos de armazenamento de grãos. Eles registraram ocorrência na Polícia Civil, mas como a denúncia é de condições de trabalho análogas à escravidão, a investigação deve ser conduzida pela Polícia Federal.

O Ministério Público do Trabalho também deve participar da apuração ouvindo responsáveis pela empresa.

Os trabalhadores sofrem com falta de água, falta de luz, são impedidos de entrar em contato com seus familiares e recebem agressões e ameaças por parte do supervisor da empresa.

O Sindicato e o MPT devem ingressar com pedido de demissão coletiva para que o grupo possa receber as rescisões trabalhistas e os pagamentos em atraso dos salários.

O proprietário da empresa denunciada disse que ainda não foi ouvido pelo MPT, mas negou as acusações. Ele admitiu, no entanto, que houve atraso no pagamento do 13º salário, mas que os valores devem ser pagos ainda nesta semana.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Imigrantes haitianos denunciam empresa gaúcha por más condições de trabalho e ameaças - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV