Argentina. “Padre vileiro”, novo Bispo dos Pobres

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Bispo brasileiro diz que ordenará mulheres ao diaconato se papa permitir

    LER MAIS
  • Príncipe Charles e Bolsonaro: as duas faces da “diplomacia” dos santos

    LER MAIS
  • Nobel de Economia vai para três estudiosos “comprometidos com a luta contra as pobrezas e as desigualdades sociais”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

16 Dezembro 2017

Gustavo Carrara, “padre vileiro” pároco da Paróquia Santa Maria Mãe do Povo, em Vila 1-11-14, se prepara para assumir suas novas responsabilidades como bispo auxiliar dos pobres, no próximo sábado, 16 de dezembro, às 10h da manhã, na Catedral Metropolitana. Assim o dispôs o Papa Francisco, ao somar um quinto vicariato aos quatro existentes (Centro, Flores, Devoto e Belgrano), algo que o próprio Papa Francisco havia solicitado à Santa Sé, quando era Arcebispo de Buenos Aires, e que lhe havia sido negado naquele momento.

A reportagem é publicada por Reflexión y Liberación, 14-12-2017. A tradução é do Cepat.

Mas, agora, é o momento do Papa Francisco, e a nomeação do padre Gustavo, atual vigário episcopal para as Vilas de Emergência, encarna a nova marca que Sua Santidade deseja imprimir ao trabalho pastoral e missionário da Igreja no mundo de hoje: dar prioridade ao socorro e auxílio dos mais necessitados em todo o planeta, fazer da Igreja “uma Igreja capaz de alcançar todas as periferias humanas”, aproximar-se das vítimas da guerra, dos refugiados bélicos, religiosos e políticos. A nomeação do padre Gustavo foi anunciada no Dia Mundial dos Pobres.

O novo vicariato cumprirá funções transversais em relação aos vicariatos preexistentes, coordenando o trabalho de contenção e reacomodação de milhares de famílias que vivem em vilas de emergência e assentamentos da cidade de Buenos Aires, sem recursos e açoitadas pelo avanço da droga.

Segundo o Observatório da Dívida Social Argentina, que depende da Universidade Católica Argentina (UCA) desde fins do ano 2015, há um milhão e meio de novos pobres, somando um total de 13 milhões de pessoas vivendo em situação de pobreza. E os níveis de indigência cresceram mais ainda: há 2,7 milhões de indigentes no país. A medição da pobreza não inclui apenas o ingresso monetário, mas o acesso a recursos básicos, a dignidade da pessoa humana e o pleno exercício dos Direitos Humanos fundamentais.

A história da casula de Bergoglio

A casula é a mesma utilizada pelo Papa Francisco, em 2007, na V Conferência Episcopal do CELAM, que, segundo os especialistas, foi a que projetou Bergoglio a seu destino Papal, devido ao êxito do documento da Conferência, praticamente redigido por ele coordenando a contribuição de todos os bispos da América Latina. Retornando de tal Conferência realizada no Brasil (Aparecida, 2007), Bergoglio, então arcebispo de Buenos Aires, presidiu a cerimônia da criação de uma nova paróquia em Vila Soldati: a Paróquia Virgem Imaculada, nomeando o padre Gustavo como pároco. Era o dia 8 de dezembro de 2007, e ao finalizar a celebração, o atual Papa Francisco retirou a casula e a deu ao padre Gustavo.

Depois, quando o padre Jorge Bergoglio foi eleito Papa, os moradores mais devotos do bairro estavam muito contentes, pois o “nosso” padre Jorge, o mesmo que vinha à paróquia todos os anos para as confirmações e as festividades, era agora o representante de Cristo na Terra. Tal foi o fervor, que pediram ao padre Pedro que exibisse a casula que havia ficado guardada na casa paroquial, desde que o padre Gustavo se transferiu da Paróquia Virgem Imaculada, em Ramón Carrillo, para a Mãe do Povo, na Vila 1-11-14.

O padre Gustavo deseja continuar morando na Vila, não quer perder a proximidade com as pessoas. Contudo, está avaliando em qual. A 1-11-14 em breve receberá novo pároco. E é tamanho o nível de necessidade e urgência, que os padres ‘vileiros’ costumam dizer que “a vila tem dentes: as pessoas não deixam você sair”, em razão da constante demanda de atenção própria da vida na vila.

E assim como nas vilas foi uma revolução de alegria a nomeação do atual Papa, com o padre Gustavo acontece o mesmo: em paralelo à difícil situação vital que atravessam, ao mesmo tempo, as pessoas da vila estão felizes. No bairro Ramón Carrillo os moradores se preparam em massa para assistir a sua ordenação. E na vila 1-11-14 também. Até mesmo pessoas que vivem com a cabeça em outro mundo, em geral pessoas em situação de consumo que recebem o prato de comida quente que o padre Gustavo pessoalmente sai oferecendo às noites, estão contentes com seu novo papel na Igreja: “Padre, parabéns pela sua ascensão”. Como se fosse uma equipe de futebol. Que se assim fosse, provavelmente seria um dos “Goleadores da equipe de Jesus”.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Argentina. “Padre vileiro”, novo Bispo dos Pobres - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV