Brasil no Antropoceno: desenvolvimento predatório e políticas ambientais

Revista ihu on-line

Populismo segundo Ernesto Laclau. Chave para uma democracia radical e plural

Edição: 508

Leia mais

Gênero e violência - Um debate sobre a vulnerabilidade de mulheres e LGBTs

Edição: 507

Leia mais

Os coletivos criminais e o aparato policial. A vida na periferia sob cerco

Edição: 506

Leia mais

Mais Lidos

  • Os filhos dos padres: a nova investigação da equipe Spotlight

    LER MAIS
  • Para compreender a Sociedade do Espetáculo

    LER MAIS
  • Lutero, o “desbravador” da Modernidade

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

18 Março 2017

"O livro “Brazil in the Anthropocene: Conflicts Between Predatory Development and Enviromental Policies”, editado por Philippe Lena e Liz-Rejane Issberner (Routledge, 2017), examina o papel do Brasil na crise ecológica global e considera como a política nacional e internacional é influenciada pela interdependência dos fatores sociais, políticos, éticos, científicos e econômicos na era moderna", escreve José Eustáquio Diniz Alves, doutor em demografia e professor titular do mestrado e doutorado em População, Território e Estatísticas Públicas da Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE/IBGE, em artigo publicado por EcoDebate, 17-03-2017. 

Eis o artigo. 


O Brasil é o quinto país em extensão territorial e em população. Com uma grande riqueza ecossistêmica possui uma biocapacidade superior à Pegada Ecológica, sendo considerado uma das potências em reservas ambientais mais importantes do mundo. Seu papel geoestratégico nas decisões ambientais têm sido crucial para as negociações globais em curso em torno da mudança climática e do Acordo de Paris.

Mas embora o Brasil seja visto internacionalmente como um país preocupado com o meio ambiente, a realidade nacional é desanimadora. As políticas de desenvolvimento baseadas na extração e exportação de matérias-primas pelos setores de mineração e agronegócio (o neoextrativismo) estão contribuindo para uma rápida degradação ambiental, destruindo aquilo que ainda resta depois de 500 anos de exploração desenfreada. As duas maiores companhias brasileiras, a Petrobras e a Vale, vivem deste processo extrativista que provoca, entre outros danos, a destruição do Rio Doce e de sua rica biodiversidade. Cerca de 90% da Mata Atlântica foi destruída. Metade do Cerrado. Cerca de 20% da Amazônia. E, por aí vai, o que afeta todos os biomas, como alerta a Campanha da Fraternidade, da CNBB, 2017.

O livro “Brazil in the Anthropocene: Conflicts Between Predatory Development and Enviromental Policies”, editado por Philippe Lena e Liz-Rejane Issberner (Routledge, 2017), examina o papel do Brasil na crise ecológica global e considera como a política nacional e internacional é influenciada pela interdependência dos fatores sociais, políticos, éticos, científicos e econômicos na era moderna.

Com capítulos escritos por uma gama diversa de estudiosos do meio ambiente, este livro interdisciplinar será de grande interesse para estudantes e estudiosos de política ambiental, sociologia ambiental e as humanidades ambientais. Vejam os capítulos no sumário abaixo:

Table of Contents
Anthropocene in Brazil: an inquiry into development obsession and policy limits
Philippe Lena and Liz-Rejane Issberner (Eds)

Part I

Development dynamics and social-environmental contradictions

1 Brazil in the history of the Anthropocene
José Augusto Pádua

2 Population, development and environmental degradation in Brazil
José Eustáquio Diniz Alves and George Martine

3 The Amazon before the Brazilian environmental issue
Violeta Refskalevsky Loureiro

4 Deregulation, relocation and environmental conflict: considerations on the control of social demands in contemporary Brazil
Henri Acselrad and Gustavo Neves Bezerra

5 Markets or the Commons? the role of indigenous peoples,traditional communities and sectors of the peasantry in the environmental crisis
Jean-Pierre Leroy

Part II

Controversy and disinformation

6 Planned disinformation: the example of the Belo Monte dam as a source of greenhouse gases
Philip M. Fearnside

7 Biosafety regulations and practices and consequences in Brazil: who wants to hide the problems?
Leonardo Melgarejo

8 Tax incentive for pesticides: a debate on its(un)constitutionality from the environmental rule of lawand the environmental public order
João Alfredo Telles Melo and Geovana De Oliveira Patrício Marques

Part III

Facing the consequences of climate change

9 From co-leader to loner: Brazilian wavering positions in climate change negotiations
Larissa Basso and Eduardo Viola

10 From environmental information to precaution in the face of environmental risks: an analysis of Brazil’s National Policy on Climate Change and rulings by higher courts
Carlos José Saldanha Machado and Rodrigo Machado Vilani

11 Shaping up Brazil’s long-term development considering climate change impacts
Sérgio Margulis and Natalie Unterstell

12 Pathways to a low carbon economy in Brazil
Emilio Lèbre La Rovere, Claudio Gesteira, Carolina Grotera and William Wills

13 Financing sustainability: where has all the money gone?
Ladislau Dowbor

14 Climate change and the integration of public policies
Marcel Bursztyn and Maria Augusta Bursztyn

15 Environment policy and governance in Brazil: challenges and prospects
Adriana Maria Magalhães de Moura

16 Collective forest reserves in agrarian reform settlements: measures to prevent a non-commons tragedy in the Brazilian Amazon
Peter May, Robert Davenport, Pedro Nogueira and Paulo César Nunes

Are the multiple social-ecological initiatives the sign of apolitical and cultural shift?
Philippe Lena and Liz-Rejane Issberner

Referência:

Philippe Lena; Liz-Rejane Issberner. "Brazil in the Anthropocene: Conflicts Between Predatory Development And Environmental Policies”, Londres, NYC, Routledge, 2017

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Brasil no Antropoceno: desenvolvimento predatório e políticas ambientais