México. Igreja critica parlamentares por se concederem bônus de Natal

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • O suicídio no clero do Brasil

    LER MAIS
  • “Agro é fogo”: incêndios no Brasil estão ligados ao agronegócio e ao avanço da fome, diz dossiê

    LER MAIS
  • Polícia de RO invade casa de advogada para apreender material de defesa de camponeses

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: João Flores da Cunha | 17 Dezembro 2016

A Igreja Católica mexicana fez duras críticas aos deputados e senadores do país, que se concederam gratificações de Natal em um momento de crise econômica. A Arquidiocese do México tratou os pagamentos como “escandalosos” e sugeriu que os parlamentares que os recebem são “imorais”.

No dia 11-12, foi publicado um editorial no sítio do Sistema Informativo da Arquidiocese do México – SIAME intitulado “Os imorais”. Nele, lê-se que “como sempre, no final de ano surgem notícias de pagamentos escandalosos de gratificações e bônus para legisladores e funcionários. E isso demonstra como devemos repensar o significado do serviço público, para que seja um serviço para o bem do país, e não filão de ouro e manancial de imorais e insultantes riquezas”.

Para a Arquidiocese, “as escandalosas recompensas do final de ano são apenas a ponta do iceberg do acúmulo de benefícios anuais”. Somados ao salário regular, os benefícios irão fazer com que os pagamentos a cada parlamentar cheguem a até 20 mil dólares no mês de dezembro.

“Por que os mexicanos devemos suportar essas compensações? Por que o populismo contra a pobreza quando há suculentas prebendas próprias de sibaritas que engendram mais burocratas ricos? Por que cortar o essencial para solapar o imoral?”, questionou a Arquidiocese. O termo “essencial” é uma referência aos cortes de gastos públicos realizados pelo governo ao longo de 2016.

A Arquidiocese enfatizou o momento social e econômico do México, que é um “país de pobres”, ressaltou o editorial. 46% dos mexicanos vivem na pobreza, e a tendência nos últimos anos vem sendo de alta – contrária à de outros países da América Latina, que conseguiram reduzir o número de sua população que está abaixo da linha da pobreza. Para a Arquidiocese, “devem ser revisadas as condições de igualdade e de distribuição da riqueza” no país.

Nesse contexto, a notícia dos bônus de Natal para os parlamentares teve péssima repercussão junto à imprensa e à população. Os deputados do partido Morena, do pré-candidato presidencial Andrés Manuel López Obrador, anunciaram que não irão aceitar o pagamento, e devem devolver o dinheiro.

As gratificações causaram uma divisão entre os parlamentares do Partido Revolucionário Institucional – PRI. Parte deles resolveu seguir os congressistas do Morena e abdicar de seu bônus, e outros prometeram doar o dinheiro.

O recebimento de benefícios vistos como indevidos é polêmico dentro do partido, que tenta melhorar sua imagem histórica, associada à corrupção. Apenas neste ano, quatro governadores do PRI foram acusados em escândalos de corrupção. Um deles, Javier Duarte, do estado de Veracruz, desapareceu em outubro, dias após se licenciar do cargo. Seu paradeiro é desconhecido, e ele é considerado um foragido da Justiça.

Leia mais:

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

México. Igreja critica parlamentares por se concederem bônus de Natal - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV