Beato Romero. Roma estuda o milagre

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Os Padres da Caminhada se solidarizam com o padre Riva, vítima de racismo em Alfenas – MG

    LER MAIS
  • Acabemos com o sistema clerical

    LER MAIS
  • O que a dor nos ensina. Artigo de Corrado Augias

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


02 Novembro 2016

Notícias não faltam. Na calorosa secretaria da Paróquia “Beato Romero”, a poucos metros da pequena capela onde “Monsenhor” foi assassinado, Rafael Urrutia, postulador da causa de Romero e agora também de Rutilio Grande desfia-as a conta-gotas: a documentação do quarto milagre atribuído a Romero encontra-se em Roma há três semanas; outros dois possíveis casos, um do Equador e outro do México, estão sendo estudados em El Salvador. A causa de Rutilio Grande, htambém está em Roma e, no dia 22 de novembro, será feita a abertura formal na Congregação para a Causa dos Santos.

A entrevista é de Alver Metalli e publicada por Tierras de América, 29-10-2016. A tradução é de André Langer.

Eis a entrevista.

Então, em breve Romero será santo?

Caso o milagre for aprovado.

Em que pé estão realmente as coisas?

No ano passado, em outubro, enviamos a Roma três casos de supostos milagres...

Aqueles que foram recebidos pelo postulador Dom Vincenzo Paglia e não foram apresentados à Congregação para a Causa dos Santos para evitar que fossem rejeitados?

Sim, nenhum dos três entrou. Agora mandamos material sobre um quarto suposto milagre...

Quando?

Dom Paglia o recebeu há três semanas [ou seja, no começo de outubro].

É algo de peso?

Não posso falar sobre isso, porque revelaria coisas que ainda não foram nem aceitas nem aprovadas. Mas temos esperanças de que desta vez o resultado seja positivo. Dois médicos que consultamos consideram que sim, que é um fato inexplicável para a ciência médica.

Há alguma outra coisa em suas gavetas?

Recebemos material sobre um caso do Equador e outro do México, e os estamos estudando.

As pessoas que têm curas ou fenômenos “milagrosos” que atribuem à intercessão do beato Romero, a quem devem se dirigir?

À secretaria de canonização da Arquidiocese de San Salvador. Ali recebemos as apresentações, as registramos, verificamos, consultamos médicos, que, por sua vez, podem requerer posteriores informações que considerarem necessários para fazer uma avaliação mais completa.

Desde maio do ano passado, quando aconteceu a beatificação de Romero, quantas pessoas se apresentaram para indicar milagres?

Cerca de 10.

Algo mudou desde a beatificação de dom Romero, há um ano e meio? Refiro-me à fama de santidade de Romero. Sabemos que assim como há muitas pessoas que se alegraram por isso, também há muitas pessoas críticas que não aceitam Romero. Esses críticos mudaram de opinião?

A grande maioria do povo pobre, de condição humilde, aceitou a beatificação com fervor e alegria. El Salvador é um país que tem uma história fortemente polarizada no sentido político. Muitos que não aceitam Romero, ou que são recalcitrantes, pertencem à direita política e continuam a rejeitá-lo por razões políticas.

Mas, esse tipo de pessoal vai diminuindo?

Gradualmente. Quanto mais as pessoas compreendem que há razões válidas para querer mudar hoje este país, também compreendem melhor dom Romero. Hoje, Romero diria as mesmas coisas que disse há 40 anos.

É uma afirmação forte. Passaram-se 36 anos desde a sua morte pela direita e o governo é expressão da antiga guerrilha...

Hoje, Romero continuaria a convidar à conversão, à justiça, a respeitar a vida...

Não acredita que Romero tem cada vez mais uma dimensão universal? Sem dúvida, é cada vez mais um santo latino-americano...

É verdade. Nós temos a mesma percepção. Paradoxalmente, onde é mais difícil difundir a figura de dom Romero é em El Salvador...

Confirma-se o dito evangélico de que ninguém é profeta em sua terra...

Pense que a paróquia onde estamos chamava-se “Ressurreição”. A partir de 24 de março de 2016, como é a paróquia onde se encontra o Hospital da Divina Providência e a capela onde Romero foi assassinado, decidiu-se mudar o nome e chamá-la “Beato Oscar Romero”. Isso provocou a diminuição da assistência da população católica à paróquia.

Sério?

Sobretudo de movimentos apostólicos. Pouco a pouco estamos recuperando os que se afastaram, mas é assim.

Falta pouco menos de um ano para o centenário do nascimento de dom Romero. Quais são os aspectos centrais das celebrações preparatórias?

As múltiplas atividades têm três eixos fundamentais: Romero como homem de Deus, como pastor e como mártir que deu a vida pelas suas ovelhas, pelo povo. Nestas três direções estamos realizando uma campanha capilar nas paróquias, embora não tenha a mesma intensidade em todas as partes. Nas paróquias da periferia e nas mais populares, vai bem, mas nas paróquias de classe média há resistências, é mais difícil.

Pensar que o Papa pode celebrar em El Salvador a canonização de Romero e a beatificação de Rutilio Grande é apenas um cenário ficcional?

É a grande esperança da Igreja de El Salvador. Entretanto, no dia 16 de agosto celebramos a sessão de encerramento do processo diocesano de Rutilio Grande e as atas já foram enviadas ao Vaticano. Acaba de chegar uma carta do postulador geral dos jesuítas onde nos diz que recebeu – no dia 14 de outubro – as atas do processo diocesano e solicitou uma data para a abertura...

E já foi fixada?

Sim, ficou para o dia 22 de novembro, na Congregação para a Causa dos Santos...

E a causa de Rutílio Grande é sólida?

Muito sólida. Agora estamos tratando de difundir, de dar a conhecer, a figura de Rutilio Grande. Romero cresceu tanto que deixou Rutilio na sombra...

Mas, ele lhe abriu o caminho para os altares...

Sim, abriu-lhe o caminho. O Papa tem razão quando diz que o milagre de Rutilio Grande é Oscar Romero. Sem Rutilio não poderia ser Romero.

Falta Arturo Rivera y Damas, salesiano, sucessor e grande amigo de Romero, que, nas votações internas da Conferência Episcopal salvadorenha, sempre se alinhava com ele e que colocou em marcha a causa de beatificação de Romero...

Vejo-o como “confessor da fé”. Rivera y Damas é um homem santo, bom, que não chegou ao martírio.

Você disse que Rivera y Damas é uma figura que merece mais atenção do que tem recebido.

Eu quis muito Romero e ele me quis, mas tenho no coração Rivera y Damas.

Você gostaria que o encarregassem da causa de beatificação de Rivera y Damas?

Muitíssimo... Trabalharia nela com imenso prazer.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Beato Romero. Roma estuda o milagre - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV