Milhares de haitianos na fronteira com os EUA: "É necessário um maior apoio do governo mexicano"

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Liberdade e igualdade não bastam: uma cartilha sobre a Fratelli tutti. Artigo de Charles Taylor

    LER MAIS
  • A Economia Anticapitalista dos Franciscos e das Claras

    LER MAIS
  • “O racismo estrutura a sociedade brasileira, está em todo lugar”. Entrevista com Djamila Ribeiro

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


29 Setembro 2016

Neste ano de 2016, são 7.800 os haitianos que chegaram ao México a partir da Guatemala, na sua tentativa de chegar aos Estados Unidos, como informam as autoridades mexicanas da imigração.

A reportagem é da Agência Fides, 28-09-2016. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

O Instituto Nacional da Migração (INM) afirma que 1.701 pessoas vêm de países africanos, e 3.753, de países asiáticos, de acordo com o carimbo de ingresso no centro de imigração da cidade de Tapachula, na fronteira com a Guatemala.

Como os migrantes não podem ser repatriados, o México lhes concede um visto temporário de 20 dias para atravessar o país e chegar aos EUA, o seu destino final. No entanto, na semana passada, o governo dos EUA intensificou os seus esforços para expulsar os haitianos que chegaram aos milhares nos últimos meses, através das passagens de fronteira da Califórnia com o México.

Diversas indicações chegaram à Agência Fides sobre a situação difícil. Em Tijuana, cidade mexicana perto da fronteira estadunidense, os haitianos devem esperar até três semanas para obter uma consulta para apresentar o seu caso às autoridades do Bureau of Customs and Border Protection (CBP) dos EUA. Enquanto isso, muitos são forçados a procurar onde dormir e comer nessa cidade mexicana.

O padre Patrick Murphy, dos Missionários Scalabrinianos (MS), coordenador geral da rede de casas dos migrantes, que dirige a Casa do Migrante em Tijuana, já acolheu milhares de haitianos à espera de uma consulta com as autoridades, mas considera que é necessário um maior apoio por parte do governo mexicano: "Não só porque é necessário, mas também porque essa situação está apenas começando", disse.

Nestes dias, está sendo ativada uma coordenação da Igreja Católica com membros de outras Igrejas cristãs para ajudar os haitianos do lado dos EUA, especialmente na região da Baixa Califórnia.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Milhares de haitianos na fronteira com os EUA: "É necessário um maior apoio do governo mexicano" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV