Incêndios atingem terras indígenas na Amazônia

Revista ihu on-line

Bioética e o contexto hermenêutico da Biopolítica

Edição: 513

Leia mais

Revolução Pernambucana. Semeadura de um Brasil independente, republicano e tolerante

Edição: 512

Leia mais

Francisco Suárez e a transição da escolástica para a modernidade

Edição: 511

Leia mais

Mais Lidos

  • Pro Pope Francis: carta aberta de apoio ao Papa Francisco

    LER MAIS
  • Papa Francisco: "Ante a escandalosa corrupção e os enormes problemas sociais, o Brasil precisa que seus padres sejam sinal de esperança"

    LER MAIS
  • Autocrítica do Magistério e reforma da Igreja. Artigo de Andrea Grillo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

24 Agosto 2016

Fogo começou no início do mês e já atingiu 76 mil hectares de floresta

O Jornal da Amazônia 2ª edição desta segunda-feira (22) destaca que incêndios florestais atingem duas áreas protegidas na Amazônia: a Kuarup, no Parque Indígena do Xingu, em Mato Grosso, e a Awá II, na Terra Indígena Arariboia, no Maranhão. Os incêndios começaram no início do mês e juntos já queimaram 76 mil hectares de vegetação, área que corresponde a 76 mil campos de futebol.

A reportagem é publicada por EBC, 22-08-2016

O problema maior está na terra indígena Arariboia, onde o fogo atingiu mais de 41 mil hectares, aproximadamente 10% da reserva. No local vivem os Awá-Guajá, índios em total isolamento que dependem da floresta preservada para a sua sobrevivência. No ano passado, um incêndio de grandes proporções consumiu mais de 50% dessa área indígena. No Parque do Xingu, cerca de 45 mil hectares foram atingidos por seis frentes de fogo, que somam 62 quilômetros de extensão.

Segundo a Coordenadoria Nacional do Prevfogo, a maioria das frentes de fogo está controlada. Apenas uma permanece em combate e as demais, em monitoramento. De acordo com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), as chuvas que atingiram parte das regiões Norte e Centro-Oeste, nos últimos dias,foram insuficientes para acabar com o fogo. A tendência é que a massa de ar seco volte a se formar no centro do país, mantendo a umidade baixa até o final de setembro, piorando o cenário.

Leia mais...

Incêndio na TI Arariboia aumenta e se aproxima de região dos Awá-Guajá isolados; Ibama se reúne com os Guajajara

Situação dos Incêndios Florestais em Roraima: muito fogo e pouca água

Regiões da Amazônia têm risco de incêndios florestais até o fim do ano

Brasil está mais inflamável, dizem estudos

Incêndios florestais revelam estado de desobediência civil, diz pesquisador do Inpe

Animais silvestres "fogem" para as cidades devido as queimadas em MT

Atraso no combate ao incêndio consumiu mais de 50% da Terra Indígena Arariboia

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Incêndios atingem terras indígenas na Amazônia