Agência de notícias russa apresenta o Concílio pan-ortodoxo como "Fórum de Creta"

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • ‘Cultura do descarte e do ódio’ de governantes atuais lembra Hitler, confessa papa Francisco

    LER MAIS
  • O que suponho que Lula deveria dizer. Artigo de Tarso Genro

    LER MAIS
  • Bolívia. Breve reflexão a partir do golpe de Estado de 10 de novembro de 2019

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

28 Junho 2016

A agência de notícias Interfax, meio de comunicação russo não governamental, mas muito próximo do Kremlin, apresenta o encontro ortodoxo, concluído nesse domingo, na Grécia, como o "Fórum de Creta".

A reportagem é de Luis Badilla, publicada no sítio Il Sismografo, 27-06-2016. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

É curiosa essa definição mínima. Sendo a Intefax uma agência muito preparada em questões religiosas – às vezes, atua quase como uma mídia porta-voz do Patriarcado de Moscou –, é impensável que seja um erro de digitação ou uma superficialidade do editor.

Parece ser algo muito premeditado. Além disso, a Interfax não pode ignorar que o encontro de Creta tinha um nome específico, concordado entre as 14 Igrejas ortodoxas que, no início, tinham assegurado a sua presença: "Santo e Grande Concílio", algo bem diferente de "Fórum de Creta".

Concretamente, a mídia russa relança a declaração final do Concílio com este título: "Encyclical of the Orthodox Crete forum".

Como bem se sabe, no Concílio, deviam participar 14 Igrejas ortodoxas autocéfalas. Essas presenças foram todas confirmadas pelos mais altos líderes religiosos e pelos seus respectivos sínodos, depois de discussões e preparações que, na prática, se prolongaram por meio século.

O evento era histórico. Há muitos séculos, as Igrejas ortodoxas não se encontravam (1.000 anos); ou, melhor, era a primeira vez que o faziam. Nesses últimos meses, a Interfax sempre falou de "Santo e Grande Concílio". Agora não mais. Por quê?

Como se sabe, quatro Igrejas decidiram, no último momento, que não iriam participar: as da Rússia, da Bulgária, da Geórgia e do Patriarcado de Antioquia.

Essa passagem singular – de Concílio a Fórum (desclassificação não irrelevante), depois que as outras 10 Igrejas que tinham assinado a Convocatória de Chambésy se reuniram, mesmo assim, e, no fim, aprovaram seis importantes documentos – poderia antecipar não só a hostilidade da Igreja russa, mas também uma forma de rejeição. Os ortodoxos russos vão discutir sobre o Concílio em julho, dentro do Santo Sínodo.

Hoje e também mediante a Interfax, o arcebispo Job de Telmessos e o vice-chefe do Departamento de Relações Exteriores da Igreja do Patriarcado de Moscou, o arcipreste Nikolai Balashov, dois importantes expoentes da Ortodoxia russa, criticaram severamente a ideia que, na sua opinião, serpenteava entre os participantes do Concílio em Creta, ou seja, que o governo dessas Igrejas deve responder às regras da democracia, da dialética entre maioria e minoria.

Não parece que seja assim. Mas se insiste muito na questão em ambientes do Patriarcado de Moscou, e isso poderia ser outro indício negativo sobre quais serão as decisões do Santo Sínodo da Igreja Ortodoxa Russa.

* * *

Um colega argentino que estava com o papa para cobrir a visita à Armênia observou que o jornalista russo que fez uma pergunta para Francisco, no voo de volta, definiu o Concílio como um "Fórum". Eis a transcrição da pergunta ao Santo Padre:

Alexey Bukalov, "Itar-Tass" – Obrigado, Santidade, obrigado por esta viagem, que é a primeira viagem ao ex-território soviético. Para mim, era muito importante segui-lo... A minha pergunta vai um pouco fora desse argumento: eu sei que o senhor encorajou muito esse Concílio pan-ortodoxo; até mesmo no encontro com o Patriarca Kirill em Cuba ele foi mencionado como um desejo. Agora, que opinião o senhor tem sobre esse – digamos – fórum? Obrigado.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Agência de notícias russa apresenta o Concílio pan-ortodoxo como "Fórum de Creta" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV