Desmatamento da Amazônia Legal aumenta 190% em MT, diz Imazon

Revista ihu on-line

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Mais Lidos

  • Cenas de um filme de terror da vida real. Os 30 anos do massacre de Ignacio Ellacuría e seus companheiros

    LER MAIS
  • Aumento de mortalidade no país está diretamente ligado a corte de verbas no SUS

    LER MAIS
  • Papa Francisco quer incluir 'pecado ecológico' na doutrina oficial da Igreja, após Sínodo da Amazônia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

10 Maio 2016

Mato Grosso foi o estado que mais desmatou a área da floresta em 2016. Foram derrubados 172 km² em fevereiro e março deste ano.

Dados do Sistema de Alerta do Desmatamento (SAD), do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), mostram que o desmatamento na área da Amazônia Legal em Mato Grosso aumentou 190% nos meses de fevereiro e março de 2016 em comparação com o mesmo período do ano passado. Foram derrubados 172 km² neste ano, enquanto em 2015 foram 60 km².

A reportagem é publicada por G1, 07-05-2016.

Conforme os dados, os municípios que mais desmataram em Mato Grosso nos meses de fevereiro e março foram Marcelândia (27,9 km²) e Feliz Natal (26 km²). Outros oito municípios do estão estão na lista dos que mais desmataram, sendo eles Nova Maringá (13 km²), Juína (12.2 km²), Santa Carmem (10.5 km²), Aripuanã, (8.6km²) Diamantino (7.6 km²) e Juara (7.4 km²).

Nesse período, Mato Grosso foi o responsável por 81% do desmatamento registrado na Amazônia. Rondônia ficou em segundo lugar, com 9%. Porém, na comparação dos períodos de agosto de 2015 a março de 2016, e agosto de 2014 a março de 2015, o estado teve queda de 7% na área desmatada, passando de 639 km² para 595 km².

De acordo com o SAD, em março deste ano, 61% da área florestal da Amazônia Legal estavam cobertos por nuvens, sendo que os estados com mais cobertura o Amapá (91%), o Pará (77%) e o Amazonas (63%).

Assentamentos

Foram registrados em toda a Amazônia Legal 25 quilômetros quadrados de desmatamento em assentamentos de reforma agrária em fevereiro e março. Dos três mais afetados da área, estão dois de Mato Grosso, sendo o PE Vida Nova, em Jangada, e PA Japuranoman, em Nova Bandeirantes.

Ainda conforme os números, não foi detectado desmatamento em Unidades de Conservação e Terra Indígenas nos meses de fevereiro e março.

Medidas

Em reunião na Conferência Mundial do Clima, realizada em dezembro de 2015 em Paris, o governo de Mato Grosso anunciou que pretende acabar com desmatamento no estado até 2020. No final de março, foi publicado o decreto nº 468, que instituiu o Comitê Estadual da Estratégia PCI, que será responsável por implantar e acompanhar o cumprimento das metas.

A primeira reunião do Comitê deverá ocorrer ainda nesta quinta-feira (05), às 14h30, no Palácio Paiaguás, em Cuiabá.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Desmatamento da Amazônia Legal aumenta 190% em MT, diz Imazon - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV