Luz verde para a construção do ''muro de separação'' em Israel

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O que deve ser cancelado? Eis a questão

    LER MAIS
  • Às leitoras e aos leitores

    LER MAIS
  • Padre Miguel Ángel Fiorito, SJ, meu Mestre do Diálogo: “Ele nos ensinou o caminho do discernimento”. Artigo do Papa Francisco

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

09 Julho 2015

A Suprema Corte de Israel, com um pronunciamento de muitos modos surpreendente, na segunda-feira, 7 de julho, deu a luz verde para a construção do "muro de separação" entre o Estado hebraico e a Palestina, no trecho atravessa o vale de Cremisan, de acordo com a intenção desde sempre perseguida pelo Ministério da Defesa de Israel.

A reportagem é da Agência Fides, 08-07-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Essa nova disposição contrasta com um pronunciamento anterior, emitido pelo mesmo órgão judicial supremo do Estado de Israel, que, no início de abril, tinha emitido uma sentença – apresentada como definitiva depois de uma disputa que durou quase oito anos – com a qual se bloqueava o caminho do muro proposto pelo Exército e pelo Ministério da Defesa israelenses, e se convidavam as autoridades militares israelenses a encontrar alternativas menos devastadoras para a população local.

Na realidade, a retomada dos trabalhos autorizada pela Corte prevê apenas uma leve variação em relação aos percursos do traçado do muro previstos anteriormente. Com base nas novas disposições, a escola e os dois conventos salesianos que surgem na área ainda se encontrarão em território palestino, acessíveis a partir da cidade de Beit Jala, enquanto o muro englobará na parte israelense os fundos agrícolas do vale de Cremisan, pertencentes a 58 famílias palestinas da região.

"Estamos surpresos com a incrível decisão da Corte, que autoriza os trabalhos sem admitir mais recurso – comenta o bispo William Shomali, vigário patriarcal do Patriarcado Latino de Jerusalém – e tentamos entender as razões desse fato. A drástica mudança em relação ao pronunciamento anterior pode ser uma reação diante do recente reconhecimento oficial do Estado da Palestina por parte da Santa Sé. Não houve grandes reações formais a esse reconhecimento. Agora, temos a sensação de que, como em outros casos, a resposta chegou com a política dos fatos consumados."

O vigário patriarcal para a cidade de Jerusalém levanta também outras considerações: "A impressão é de que nunca se renunciou realmente a se apropriar daqueles terrenos de Cremisan, para ter uma área para se poder ampliar os assentamentos israelenses de Gilo e Har Gilo, estes também construídos sobre terras roubadas da cidade palestina de Beit Jala. Essa era a intenção desde o início, o objetivo a que se visava, e se quer chegar a isso a todo o custo".

O vale do Cremisan é o "pulmão verde" principal para a população que vive na região de Belém. O traçado do muro de separação desejado por Israel, depois de cortar o território de Belém, agora se prepara para devastar essa região, conhecida como um dos ambientes naturais mais belos de toda a Terra Santa.

"É evidente – declarara no passado Vera Baboun, prefeita de Belém – que o desenho do traçado não responde a nenhuma exigência de segurança e visa apenas a separar as pessoas das suas terras para poder confiscá-las e ampliar a área das colônias israelenses que já ocuparam, naquele quadrante, a maior parte dos territórios palestinos".

Segundo Vera Baboun, o efeito da política das expropriações israelenses nessa região tão delicada dos territórios palestinos será que, "dentro de poucos anos, toda a área será sufocada pelas garras do muro, e os primeiros a irem embora serão os cristãos".

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Luz verde para a construção do ''muro de separação'' em Israel - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV