Poluição mata sete milhões de pessoas por ano no mundo

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Equidade de gênero: a religiosidade como caminho para igualdade. Debate com Antje Jackelén, arcebispa primaz da Igreja Luterana da Suécia

    LER MAIS
  • Irmã Dulce, símbolo de um Brasil que está se esquecendo dos pobres. Artigo de Juan Arias

    LER MAIS
  • “A ética do cuidado é um contrapeso ao neoliberalismo”. Entrevista com Helen Kohlen

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

27 Março 2014

Cerca de sete milhões de pessoas morrem por ano no mundo em virtude da poluição, de acordo com dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), divulgados na noite de segunda-feira (24/03). Conforme essas estatísticas, uma em cada oito mortes ao redor do planeta está relacionada à contaminação do ar, seja dentro ou fora de casa.

A reportagem é publicada por Opera Mundi, 25-03-2014.

Segundo a agência sanitária da ONU, a poluição do ar tornou-se agora o maior risco para a saúde dos seres humanos, causado por pequenas partículas que se infiltram nos pulmões, resultando em irritações, doenças cardiovasculares, problemas crônicos e câncer.

O que mais surpreende é que as últimas estatísticas divulgadas pela OMS eram datadas de 2008 e apresentavam 3,5 milhões de mortes relacionadas à poluição no mundo – exatamente a metade de óbitos registrados seis anos depois. Contudo, é preciso levar em conta a existência de uma nova tecnologia mais precisa, que permite determinar com mais exatidão a contaminação, segundo afirmou a diretora do departamento de Saúde Pública e Meio Ambiente da OMS, María Neira, à Agência Efe.

Principais vítimas

Os estudos revelaram que das 7 mi de mortes, 3,7 mi são resultantes da poluição externa, causadas principalmente por ataques cardíacos (40%) e derrames (40%). Desses óbitos, 88% ocorrem em países de baixa e média renda - que representam 82% da população mundial.

Já nos lares, a poluição interna é oriunda principalmente da combustão na hora de cozinhar com lenha e carvão. Neste caso, os derrames são mais frequentes (34%) do que ataques cardíacos (26%), mas quase a totalidade destes óbitos também foi registrada em países de baixa e média renda.

As regiões do Pacífico Ocidental e do Sudeste Asiático são as que mais concentram casos de mortes nas duas modalidades – dentro e fora de casa. O relatório apontou ainda níveis maiores de exposição em mulheres do que homens em países em desenvolvimento.

"Mulheres e crianças pobres pagam um preço alto pela poluição dentro de ambientes fechados, já que passam mais tempo em casa respirando fumaça e fuligem de fogões a lenha e carvão com vazamentos", explicou a diretora-geral adjunta da OMS, Flavia Bustreo, segundo a Associated Press.

Para analisar os graus de mortandade em nível de cidades, a OMS desenvolve no momento novos relatórios, que devem ser divulgados nos próximos meses.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Poluição mata sete milhões de pessoas por ano no mundo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV