Grupos prometem atos em todo o País

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Irreverência

    LER MAIS
  • Uma prova do conclave. O próximo papa assumirá o nome da Comunidade de Santo Egídio

    LER MAIS
  • “Eu estou tirando Deus da Bíblia”. Entrevista com Marc-Alain Ouaknin

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

07 Setembro 2013

O feriado de 7 de setembro deve ser marcado por manifestações em todo o País. Além do tradicional Grito dos Excluídos – organizado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que reúne diversos movimentos sociais em passeatas paralelas às cerimônias de comemoração do Dia da Independência –, protestos contra a corrupção foram convocados pela internet em pelo menos 135 cidades brasileiras. Autoridades temem que as manifestações acabem em violência, a exemplo de episódios ocorridos durante os atos de junho.

A informação é publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, 07-09-2013.

Nesta sexta-feira, no pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV, a presidente Dilma Rousseff afirmou que a população tem o direito de se indignar e de cobrar mudanças. Uma verdadeira operação de guerra foi montada na Esplanada dos Ministérios durante o desfile militar comandado pela presidente. A previsão era que Dilma desembarcaria em Brasília na madrugada deste sábado após viagem à Rússia, onde participou da reunião do G-20.

O secretário adjunto de segurança pública do DF, coronel Paulo Roberto Oliveira, disse que "o governo está preparado para dar uma pronta resposta a qualquer ato que ocorrer na Esplanada e na cidade, em geral".

Na sexta, cerca de mil manifestantes do Movimento dos Sem Teto bloquearam estradas no entorno do Distrito Federal cobrando a aprovação de um projeto de lei que pretende dar auxílio moradia a famílias carentes.

Páginas na internet associadas ao grupo hacker Anonymous Brasil convocaram ato contra a corrupção em pelo menos 135 cidades. A pretensão dos organizadores é realizar o "maior protesto da história do Brasil", como chamam o evento.

Reivindicações

No Facebook, mais de 400 mil pessoas já confirmaram presença. O movimento reivindica "prisão dos mensaleiros"e aprovação imediata de propostas no Congresso: lei de combate à corrupção; redução do número de deputados; reforma tributária; fim do voto obrigatório e aprovação do novo Plano Nacional de Educação.

Políticos do PT se sentiram atingidos e convocaram os militantes para também irem às ruas. Candidato à presidência do partido, Valter Pomar gravou vídeo em que chama os organizadores do protesto de "viúvas da ditadura militar" e "direitistas". Segundo ele, os manifestantes estariam contra a democracia, os direitos sociais e a esquerda.

O deputado federal Paulo Teixeira (SP), também candidato a presidente do PT, disse que os manifestantes querem usar esse dia para "atacar as vitórias" da sigla. "Nós, povo, juventude, movimentos sociais, temos que ir às ruas em defesa das transformações que estão acontecendo no nosso País", afirmou em vídeo divulgado na internet.

Há movimentações também na internet que sugerem ação de Black Blocs, grupos de mascarados que ficaram conhecidos por usar a depredação como forma de protesto.

Em São Paulo, diferentes grupos organizam atos para o início da tarde e elegeram como ponto de encontro o vão livre do Masp, na Avenida Paulista. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou ontem que o uso de máscaras nos protestos está permitido. Há 41 manifestações programadas no Estado.

Os que aderem à pauta contra a corrupção devem encontrar outros grupos nas ruas. Do Grito dos Excluídos participam igrejas, pastorais, movimentos sociais e populares e centrais sindicais. Este ano, a 19.ª edição tem como tema a juventude. A intenção é que o ato dialogue com as mobilizações que aconteceram a partir de junho, quando milhares de pessoas saíram às ruas em todo o País.

Passe Livre rejeita manifestações anticorrupção e apoia 'Excluídos'

O núcleo de Brasília do Movimento Passe Livre (MPL-DF), grupo protagonista dos protestos de junho em todo o País, criticou as manifestações anticorrupção articuladas nas redes sociais para hoje. Em carta aberta, o movimento afirma que os atos são apoiados "secretamente por grupos conservadores que não dão as caras ao público".

O MPL diz que, nas diversas páginas de convocação de manifestantes no Facebook, há defensores de temas como diminuição da maioridade penal, criminalização do aborto e até intervenção militar. "O movimento contra a corrupção está sendo corrompido a tornar-se um movimento pró-regime de repressão autoritária", diz a carta.

Oficialmente, a pauta do "Maior Protesto da História do Brasil" - evento criado no Facebook com mais de 400 mil confirmações de presença - não inclui tais temas. Nos comentários e enquetes, porém, é possível ver que esses assuntos foram comentados. A organização, contudo, afirma que "não quer golpe militar, intervenção, fascismo ou socialismo".

"Não achamos que acontecerão marchas pró-ditadura, mas achamos que, por não terem posições claras, (essas manifestações) dão espaço para que grupos conservadores desenvolvam as suas pautas", diz Paíque Duques Santarém, integrante do Movimento Passe Livre do Distrito Federal.

O MPL de Brasília, no entanto, afirma que apoia outra manifestação marcada para hoje: o Grito dos Excluídos. "Este sim é um espaço que conflui com as nossas apostas políticas e com os grupos que sabemos construir a luta cotidianamente, nos trabalhos de base, junto com a população", diz a carta do MPL.

Em São Paulo, o MPL não participará de manifestações, mas realizará um debate sobre o sistema de transporte na zona sul de São Paulo, às 15h, na Praça do Trabalhador, em Parelheiros.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Grupos prometem atos em todo o País - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV