"A Cáritas não é uma ONG", afirma papa

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Sigilo em torno do Sínodo da Amazônia mostra tensão entre transparência e discernimento

    LER MAIS
  • Está chegando o cato-fascismo

    LER MAIS
  • “Facebook ameaça a democracia”, adverte Chris Hughes, cofundador da rede social

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

27 Maio 2011

A Caritas Internationalis "é diferente de outras entidades sociais", como as organizações não governamentais, porque ela "é um órgão eclesial, que compartilha a missão da Igreja".

A nota é de Giacomo Galeazzi, publicada em seu blog Oltretevere, 27-05-2011. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Por issso, "a Santa Sé tem a tarefa de acompanhar suas atividades e de vigiar para que tanto a sua ação humanitária e de caridade, quanto o conteúdo dos documentos divulgados, estejam em plena harmonia com a Sé Apostólica e com o Magistério da Igreja" e também "para que ela seja administrada com competência e de modo transparente".

São palavras muito claras as que Bento XVI dirigiu nesta sexta-feira aos participantes da 19ª Assembleia Geral da Caritas Internationalis, que ocorre em Roma a 60 anos da sua fundação. Nos últimos dias, a assembleia da organização humanitária católica, além de confirmar na presidência o cardeal Óscar Rodríguez Maradiaga, nomeou um novo secretário na pessoa do francês Michel Roy, depois que a secretária anterior, a inglesa Leslie-Anne Knight, não havia recebido nihil obstat da Secretaria de Estado do Vaticano.

O fato de a Caritas Internationalis ser "diferente de outras entidades sociais", enquanto "órgão eclesial, que compartilha a missão da Igreja", segundo o Papa, "é o que os pontífices sempre quiseram", e "é o que a vossa Assembleia Geral é chamada a reafirmar com força".

Além disso, a organização "é constituída fundamentalmente pelas vários Cáritas nacionais", que, "diferentemente de tantas instituições e associações eclesiais dedicadas à caridade", têm um "traço diferente": "todas constituem uma ajuda privilegiada para os bispos no seu exercício pastoral da caridade". "Isso comporta – explicou ele – uma especial responsabilidade eclesial: a de deixar ser conduzido pelos pastores da Igreja".

Como a Caritas Internationalis tem um "perfil universal e está dotada de uma personalidade jurídica canônica pública", a Santa Sé "tem a tarefa de acompanhar as suas atividades e de vigiar para que tanto a sua ação humanitária e de caridade, quanto o conteúdo dos documentos divulgados, estejam em plena harmonia com a Sé Apostólica e com o Magistério da Igreja, e para que ela seja administrada com competência e de modo transparente", ressaltou Ratzinger.  "Essa identidade distinta – acrescentou – é a força da Caritas Internationalis, e é o que torna a sua obra particularmente eficaz".

A Caritas Internationalis, concluiu o Papa, "no compromisso para desenvolver sua própria missão, pode contar com a assistência e com o apoio da Santa Sé, particularmente através do dicastério competente, o Pontifício Conselho Cor Unum".

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"A Cáritas não é uma ONG", afirma papa - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV