Ernesto Cardenal na oração inter-religiosa desta semana

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O cardeal filipino Luis Antonio Tagle, a reforma da Igreja e o próximo pontificado

    LER MAIS
  • “30% dos eleitos para serem bispos rejeitam a nomeação”, revela cardeal Ouellet, prefeito da Congregação para os Bispos

    LER MAIS
  • Vivemos uma ‘psicopatia difusa’ na política brasileira, diz psicanalista

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

23 Março 2018

Neste espaço se entrelaçam poesia e mística. Por meio de orações de mestres espirituais de diferentes religiões, mergulhamos no Mistério que é a absoluta transcendência e a absoluta proximidade. Este serviço é uma iniciativa feita em parceria com o Prof. Dr. Faustino Teixeira, teólogo, professor e pesquisador do PPG em Ciências da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Me besabas

Aquella noche en la Isla de Vancouver
abrí la ventanita del motel
y al ver las estrelas
casi lloré.
Eran tantas esa noche
Y me besabas con todas ellas.

Fonte: Ernesto Cardenal. Telescopio en la noche oscura. Madrid: Trotta, 1993, p. 59


Ernesto Cardenal (Foto: Jorge Mejía Peralta | Flickr)

Ernesto Cardenal(Granada, Nicarágua, 1925). É escritor, sacerdote trapista, político nicaraguense e ícone da Revolução Sandinista. Poeta revolucionário, reflexo de seu radicalismo pessoal, denunciando o sofrimento e a exploração do seu país, é conhecido pela sua obra "El corno emplumado". Viveu politicamente comprometido com os conflitos sociais de seu país, onde desde 1954 participou nas lutas contra o ditador Somoza, sendo depois ordenado sacerdote. Residiu de 1957 a 1959 nos Estados Unidos, onde teve como orientador de monastério Thomas Merton, que, prematuramente, em 1966, escreveu que Cardenal era “um mestre espiritual", esculpido com o “sinal da sabedoria e a humildade do amor”. No seu retorno fundou a comunidade na ilha de Solentiname.

Também foi teólogo da libertação, ideias que aparecem nos seus textos de 1964 e 1965. Com a chegada dos sandinistas ao poder, integrou a Junta de Governo como Ministro da Cultura. Seis anos depois, em 1985, foi suspenso "a divinis" pelo Vaticano, que considerou incompatível a sua missão sacerdotal com o seu novo cargo político.

Considerado um dos mais importantes poetas latino-americanos vivos,  teve suas obras publicadas em 20 idiomas e em mais de 200 edições. Entre elas, destacamos A cidade desabitada, Hora Zero, Getsemany KY, Salmos, Oração por Marilyn Monroe e outros poemas, O estreito duvidoso, Vida no amor, Homenagem aos índios americanos, Cristianismo e Revolução, A santidade na revolução e Em Cuba.

Cardenal foi candidato ao Prêmio Nobel de Literatura e, entre outras distinções, recebeu o Prêmio Rubén Darío (1965), o mais importante das letras nicaraguenses, a Ordem cubana "Haydeé Santamaría" (1990), o Prêmio da Paz dos livreiros alemães (1980), o Prêmio Legião de Honra (2013), na França, e o prêmio Theodor-Wanner (2014), na Alemanha. 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Ernesto Cardenal na oração inter-religiosa desta semana - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV