Ernesto Cardenal na oração inter-religiosa desta semana

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • ‘Cultura do descarte e do ódio’ de governantes atuais lembra Hitler, confessa papa Francisco

    LER MAIS
  • Bolívia. “O elemento central da derrubada de Evo Morales não é a direita, mas o levante popular”. Entrevista com Fabio Luís Barbosa dos Santos

    LER MAIS
  • O que suponho que Lula deveria dizer. Artigo de Tarso Genro

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

07 Outubro 2016

Neste espaço se entrelaçam poesia e mística. Por meio de orações de mestres espirituais de diferentes religiões, mergulhamos no Mistério que é a absoluta transcendência e a absoluta proximidade. Este serviço é uma iniciativa feita em parceria com o Prof. Dr. Faustino Teixeira, teólogo, professor e pesquisador do PPG em Ciências da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Eu tive uma coisa com ele


Reprodução de Solentiname (Foto: Pinterest)

No centro de nosso ser
não somos nós,
mas outro.
Se o ferro do meu sangue
é o mesmo dos trilhos,
meu cálcio o dos alcantilados
onde está Deus meu
este eu meu que te ama?
Parte de tua ternura, eu sinto,
são estas partículas que eu tenho.
Doçura de saber que me fizeste.
Deus dos números absurdos,
do dementemente grande
e do dementemente pequeno.
Se é infinito
também será infinita loucura
espontaneidade infinita.
Que um dia tu e eu nos acariciemos
como o fazem com olhos cerrados
gemendo os amantes,
num lugar infinito
e numa data eterna
mas tão real como dizer
esta noite às 8.

Fonte: Ernesto Cardenal. Cântico Cósmico. São Paulo: Hucitec, 1996, p. 389.


Ernesto Cardenal (Foto: Jorge Mejía Peralta | Flickr)

Ernesto Cardenal(Granada, Nicarágua, 1925). É escritor, sacerdote trapista, político nicaraguense e ícone da Revolução Sandinista. Poeta revolucionário, reflexo de seu radicalismo pessoal, denunciando o sofrimento e a exploração do seu país, é conhecido pela sua obra "El corno emplumado". Viveu politicamente comprometido com os conflitos sociais de seu país, onde desde 1954 participou nas lutas contra o ditador Somoza, sendo depois ordenado sacerdote. Residiu de 1957 a 1959 nos Estados Unidos, onde teve como orientador de monastério Thomas Merton, que, prematuramente, em 1966, escreveu que Cardenal era “um mestre espiritual", esculpido com o “sinal da sabedoria e a humildade do amor”. No seu retorno fundou a comunidade na ilha de Solentiname.

Também foi teólogo da libertação, ideias que aparecem nos seus textos de 1964 e 1965. Com a chegada dos sandinistas ao poder, integrou a Junta de Governo como Ministro da Cultura. Seis anos depois, em 1985, foi suspenso "a divinis" pelo Vaticano, que considerou incompatível a sua missão sacerdotal com o seu novo cargo político.

Considerado um dos mais importantes poetas latino-americanos vivos,  teve suas obras publicadas em 20 idiomas e em mais de 200 edições. Entre elas, destacamos A cidade desabitada, Hora Zero, Getsemany KY, Salmos, Oração por Marilyn Monroe e outros poemas, O estreito duvidoso, Vida no amor, Homenagem aos índios americanos, Cristianismo e Revolução, A santidade na revolução e Em Cuba.

Cardenal foi candidato ao Prêmio Nobel de Literatura e, entre outras distinções, recebeu o Prêmio Rubén Darío (1965), o mais importante das letras nicaraguenses, a Ordem cubana "Haydeé Santamaría" (1990), o Prêmio da Paz dos livreiros alemães (1980), o Prêmio Legião de Honra (2013), na França, e o prêmio Theodor-Wanner (2014), na Alemanha. 

Leia mais...

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Ernesto Cardenal na oração inter-religiosa desta semana - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV