Venezuela. Trezentas mil crianças sofrem de fome

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • O Sínodo Mundial é uma preparação para um futuro Concílio, afirma arcebispo de Praga

    LER MAIS
  • Em carta, Bento XVI diz esperar se encontrar com os seus amigos no céu

    LER MAIS
  • Müller também se recusa, na 'TV do diabo', a participar do Sínodo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


30 Outubro 2017

É uma crise sem fim que a Venezuela está enfrentando, nas garras de um impasse político e institucional que tem consequências gravíssimas para a população. Quem afirma isso é a Cáritas, segundo a qual cerca de 300.000 crianças venezuelanas estão agora em risco de morrer por desnutrição. Susana Rafalli, representante da Cáritas no país sul-americano, alertou para a situação grave que a população é forçada a enfrentar devido à falta de alimentos e medicamentos. Na última quinta-feira, em uma reunião com a imprensa estrangeira, foi apresentado um relatório que faz um diagnóstico da situação crítica dos hospitais e do aumento de doenças e epidemias que estão "dizimando silenciosamente a população", afirmam os especialistas. De acordo com o relatório da Cáritas, a quantidade e qualidade dos alimentos estão diminuindo devido à escassez crônica de produtos e o nível assustador de inflação. A Cáritas ajuda a população mais pobre e vulnerável em quatro estados: Distrito Capital (área de Caracas), Vargas, Miranda e Zulia, onde cerca de setenta por cento da população sofrem de grave deficiência nutricional. A cada semana cinco ou seis crianças morrem por causa da desnutrição. A projeção estimada pela Cáritas é que este ano poderão ser mais de 280.000 crianças em risco de morrer por causa da fome.

A informação é publicada por L'Osservatore Romano, 28-10-2017. A tradução é de Luisa Rabolini.

"A desnutrição infantil aguda atingiu 15 por cento das crianças no mês de agosto, portanto estamos declarando uma situação de emergência humanitária. 33 por cento da população infantil já está apresentando atrasos no crescimento. Esse dano, tanto físico como mental, irá acompanhá-los ao longo de toda a vida e é irreversível", explicou Rafalli. De acordo com os dados da Cáritas, a mortalidade materna entre 2006 e 2016 mostrou um aumento anual de 10 por cento, mas no último ano aumentou vertiginosamente em 65 por cento. 63 por cento dos hospitais públicos não têm água potável; 51 por cento não têm leitos para as cirurgias e 64 por cento não têm leite para as crianças.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Venezuela. Trezentas mil crianças sofrem de fome - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV