Eleições na Alemanha. "É um sinal de alarme", avalia presidente das igrejas protestantes

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • O psicanalista analisa o "vazio de sentido". "A técnica domina, a política não decide, os jovens consomem e ponto". Entrevista com Umberto Galimberti

    LER MAIS
  • Necropolítica Bacurau

    LER MAIS
  • ''Estamos vendo o início da era da barbárie climática.'' Entrevista com Naomi Klein

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

26 Setembro 2017

"O alarme tocou para todos". Esse foi o primeiro comentário do bispo luterano Heinrich Bedford-Strohm, presidente da Igreja Evangélica na Alemanha (EKD), poucas horas depois da contagem dos votos das eleições gerais que viram pela primeira vez, desde a Segunda Guerra Mundial, a entrada de um partido de extrema-direita e xenófobo no Bundestag: a "Alternative für Deutschland" (AfD). É um sinal de alarme “para todos aqueles que, em uma Alemanha aberta ao mundo, se preocupam com a vida coletiva pacífica e solidária do país”, prosseguiu Bedford-Strohm. Preocupado com a linguagem que marcou a campanha eleitoral, "ao som de gritos e insultos, fruto - declarou o bispo - de uma cultura política falha", Bedford-Strohm, no entanto, saudou a elevada afluência às urnas.

A informação é publicada por NEV, 25-09-2017. A tradução é de Luisa Rabolini.

"Todos são agora chamados a ajudar, para que vozes que excluem e que estão cheias de ódio, não envenenem a vida do país. Agora é esperar para ver se um partido animoso como o AfD será capaz de se inserir de forma construtiva nos processos de trabalho parlamentares em nível federal, e se será capaz de se distanciar das posições radicais das suas correntes da extrema direita", conclui o bispo.

A AfD conseguiu ontem 12,6% dos votos e, com 94 deputados no Parlamento, torna-se a terceira força política no país.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Eleições na Alemanha. "É um sinal de alarme", avalia presidente das igrejas protestantes - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV