Barbarin será julgado em abril por omissão na denúncia de abusos de menores em sua diocese

Revista ihu on-line

Etty Hillesum - O colorido do amor no cinza da Shoá

Edição: 531

Leia mais

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

Mais Lidos

  • “América Latina caminha para o enfraquecimento e a desintegração”. Entrevista com Juan Tokatlian

    LER MAIS
  • O sucesso estrondoso da comida ‘nua’. Os supermercados começam a dar adeus às embalagens

    LER MAIS
  • "O PIB gosta de poluição, crimes e guerras". Entrevista com David Pilling

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

20 Setembro 2017

Um novo escândalo mancha a Igreja francesa. O cardeal de Lyon, Philippe Barbarin, será julgado em abril próximo, acusado de não ter denunciado agressões sexuais contra menores cometidas pelo padre Bernard Preynat, em sua diocese, há cerca de 25 anos.

A reportagem é publicada por Religión Digital, 19-09-2017. A tradução é de André Langer.

Barbarin foi exonerado em julho passado por uma investigação sobre acobertamento e omissão do dever de socorro. No entanto, os demandantes não desistiram e entraram com um processo de convocação direta perante o tribunal, o que determinou que fosse levado em consideração.

Juntamente com o cardeal, outras cinco pessoas foram convidadas a comparecer, entre as quais se destaca o atual prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, o espanhol Luis Ladaria; a o arcebispo de Auch, Maurice Gardès; e o bispo de Nevers, Thierry Brac de la Perrière, embora nestes casos apenas como testemunhas.

A decisão judicial reabre o caso, depois que a investigação por acobertamento foi encerrada em julho. Naquela época, a diocese emitiu um comunicado em que assegurava que o cardeal "não teve a intenção de obstruir a ação da justiça" e chamou as acusações de "difamatórias".

Em dezembro do ano passado, Barbarin reconheceu, em uma entrevista ao Le Parisien, ter-se dado conta "tarde" dos casos de abusos de Preynat. Na mesma entrevista, ele disse que entende a "grande indignação" das vítimas, e anunciava que pedira ao Papa o julgamento canônico do sacerdote abusador, embora os fatos tenham prescrito.

Quando o escândalo veio à tona, o arcebispo de Lyon visitou o Papa e negou qualquer tipo de acusação. "Nunca, nunca, nunca acobertei o menor ato de pederastia", disse, embora algumas semanas depois a diocese tenha emitido um comunicado em que afirmava que o bispo se via "na obrigação de assumir todo o mal cometido por alguns sacerdotes e pedir pessoalmente perdão pelos danos que eles causaram às crianças".

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Barbarin será julgado em abril por omissão na denúncia de abusos de menores em sua diocese - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV