Francisco: “O Catecismo nos ensina quem é Cristo, mas isto não é suficiente”

Revista ihu on-line

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Mais Lidos

  • Os Arautos do Evangelho não reconhecem o Comissário do Vaticano, dom Raymundo Damasceno Assis

    LER MAIS
  • Pacto das Catacumbas pela Casa Comum. Por uma Igreja com rosto amazônico, pobre e servidora, profética e samaritana

    LER MAIS
  • A ideologização da Sociologia (além de uma simples distração). Artigo de Carlos A. Gadea

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

21 Outubro 2016

“O Catecismo nos ensina quem é Cristo, mas isto não é suficiente”. O Papa Francisco pediu “oração, adoração e nos reconhecer pecadores” para realmente conhecer Jesus, durante sua homilia na missa da Casa Santa Marta.

A reportagem é de Jesús Bastante, publicada por Religión Digital, 20-10-2016. A tradução é do Cepat.

Partindo da Carta de São Paulo aos Efésios, o Papa recordou que é preciso fazer com que Cristo habite em nossos corações. “Aí está o centro”, ressaltou. “Como podemos conhecer a Cristo? Como podemos compreender o amor de Cristo que supera todo conhecimento?”, perguntou Bergoglio.

Cristo está presente no Evangelho. Lendo o Evangelho conhecemos a Cristo. E todos nós fazemos isto. Ao menos escutamos o Evangelho quando vamos à Missa. Com o estudo do catecismo. O catecismo nos ensina quem é Cristo, mas isto não é suficiente. Para sermos capazes de compreender qual é a amplitude, a longitude, a altura e a profundidade de Jesus Cristo, é necessário entrar em contexto, primeiro, de oração, como faz Paulo, de joelhos: ‘Pai envia-me o Espírito para conhecer Jesus Cristo”.

Para conhecer Jesus, afirmou o Papa, “é preciso a oração”, mas não só orar, também adorar este mistério que supera todo conhecimento”, pois “não se conhece o Senhor sem este costume de adorar, de adorar em silêncio”.

“Adorar. Creio – se não me equivoco – que esta oração de adoração é a menos conhecida por nós, é a que fazemos menos. Perder o tempo – me permito dizer – ante o Senhor, ante o mistério de Jesus Cristo. Adorar. E ali em silêncio, o silêncio da adoração. Ele é o Senhor e eu adoro”, apontou.

Finalmente, “para conhecer Cristo é necessário ter consciência de nós mesmos, de que somos pecadores”. É que, continuou o Papa, “não se pode adorar sem se acusar a si próprio. Parar entrar neste mar sem fundo, sem margem, que é o mistério de Jesus Cristo, são necessárias estas coisas. A oração: ‘Pai, envia-me o Espírito para que Ele me leve a conhecer Jesus’. Segundo: a adoração do mistério, entrar no mistério, adorando. E terceiro: acusar-se a si próprio. Sou um homem de lábios impuros’. Que o Senhor nos dê esta graça que Paulo pede aos Efésios, também para nós, esta graça de conhecer e ganhar a Cristo”.

Leia mais

Novo grafite sobre Papa Francisco aparece em Roma

Papa Francisco: “Sempre há um pobre que precisa de mim e não posso delegar o compromisso”

Papa Francisco: “Devemos rezar não para vencer a guerra, mas para vencer a paz”

O que o Papa Francisco já disse aos jesuítas? Artigo de Elías Royon

"Como papa, eu também acolho e acompanho pessoas homossexuais." Entrevista com o Papa Francisco no retorno da Geórgia

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Francisco: “O Catecismo nos ensina quem é Cristo, mas isto não é suficiente” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV